Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
(67) 99659-5905

Dourados envia primeira carga de pneus inservíveis

12 agosto 2002 - 16h46

O prefeito Laerte Tetila acompanhou na manhã de hoje, junto com o presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente, Luiz Carlos Hernandes e o secretário de Serviços Urbanos, Laércio Arruda, o “bota fora” da primeira carga de pneus inservíveis, enviada para a Companhia de Cimento do Brasil em Jundiaí (SP), onde as carcaças serão incineradas no alto forno da indústria, sendo aproveitadas como combustível com a diferença de que os resíduos tóxicos não serão emitidos na atmosfera porque os gases também são reaproveitados na câmara de combustão.
“Este é uma viagem histórica”, comentou Tetila, lembrando que Dourados é uma das primeiras cidades do País a tomar essa providência, e a primeira do Centro Oeste a fazer isso. “Imagine o benefício dessa iniciativa em termos de saúde e o alívio ambiental que está sendo proporcionado, evitando a proliferação de mosquitos, a poluição, enxurradas, enfim”.
Desde novembro do ano passado a Prefeitura vem ajuntando pneus velhos, inicialmente como parte da campanha contra a dengue. O depósito possui em torno de 12 mil carcaças e toda a semana, até que se esvazie o local, será enviada uma carga para a indústria, conforme compromisso feito pela Associação Nacional da Indústria Pneumática (Anip) que está custeando o frete.
Na realidade está sendo criado em Dourados o primeiro “Eco Ponto de MS”, um depósito para se guardar os pneus velhos e na medida que a quantidade chega a ser suficiente para uma carga, a remessa é feita imediatamente. O diretor executivo do Instituto Municipal de Planejamento e Meio Ambiente, Luiz Carlos Ribeiro, explicou que existe uma lei federal exigindo que para cada cinco pneus produzidos no Brasil, as indústrias dêem fim em pelo menos um. Em 2003, elas terão que destruir dois e esse compromisso torna-se progressivo com o passar dos anos até que todas as carcaças sejam destruídas. As indústrias terão, segundo Ribeiro, que prestar conta disso junto ao Ibama.
Por esse acordo, as indústrias dividiram o País em regiões, sendo as indústrias responsáveis pela região de Dourados a Michelin, Firestone, Goodyear e Pirelli.
O diretor calcula que existam pelo menos 30 mil pneus velhos espalhados pela cidade em borracharias, depósitos e quintais que deverão ser recolhidos. Ribeiro disse que esse trabalho integra um projeto maior de gerenciamento ambiental do Município que prevê uma série de outras providências.
As pessoas devem colaborar com esse trabalho de grande importância ambiental levando os pneus velhos para o depósito existente na Secretaria Municipal de Agricultura, na Rua Wanilton Finamori, 875, na Vila Industrial.


Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Após apelo de Reinaldo, Geraldo Resende permanece no governo
BELEZA & ESTÉTICA
Cabelos brancos? Aplique azeite e acabe com os fios grisalhos
CRIME ORGANIZADO
Novo comandante do DOF defende aparatos tecnológicos para enfrentar o tráfico
SAÚDE
Hipertensão (pressão alta): o que é, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção
JUSTIÇA
TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano
PESQUISA FIJ
Mais da metade dos jornalistas têm sofrido de estresse durante a pandemia
CAMPANHA EM MS
Arrecadação de EPIs para saúde indígena recebe mais de 20 mil equipamentos
ISOLAMENTO
Aglomeração de pessoas favorece contágio acelerado, alerta Saúde de MS
PANDEMIA
Governador do Estado de Mato Grosso testa positivo para coronavírus
PONTA PORÃ
Casal é preso transportando 150 kg de maconha em veículo

Mais Lidas

EPICENTRO
Casos de coronavírus "explodem" e Dourados registra recorde de confirmações
PANDEMIA
Novo epicentro, Dourados é a cidade com mais casos de coronavírus em MS
PANDEMIA
Comitê aponta surtos de coronavírus em dois pontos de Dourados
TRÁFICO DE DROGAS
Casal é preso após entreposto da droga ser fechado em Dourados