Menu
Busca segunda, 17 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221
DOURADOS

Dois fenômenos climáticos causam estragos em raio de 3,5 km no mesmo mês

29 janeiro 2020 - 11h01Por Wender Carbonari

Tempestades rápidas com fortes ventos foram registradas no primeiro dia do ano e na última segunda-feira (27) em Dourados. No caso mais recente, fachadas de estabelecimentos comerciais ficaram destruídas e árvores caíram derrubando portão e obstruindo ruas na região do Canaã III, Jardim Colibri e Terra Roxa.  Os bairros foram atingidos por um princípio de tornado. 

Já no dia 1 de janeiro, rajadas de ventos destelharam casas no bairro Green Ville, na região sul do perímetro urbano da cidade.  A distância entre os dois locais onde foram notificados os rápidos temporais é de apenas 3,5 quilômetros. 

Os dois casos apresentam semelhanças como a duração das tempestades acompanhadas de rajadas de ventos. Foram chuvas de poucos milímetros que caíram em um curto espaço de tempo, mas que causaram estragos e assustaram moradores. No Green Ville, uma criança foi atingida por um tijolo e no Canaã III no início da semana um homem teve ferimentos na cabeça provocados pela queda de uma telha. 

TORNADOS

O rápido temporal que atingiu os bairros de Dourados na segunda-feira (27) pode ser classificado como uma “supercélula de alta precipitação”, ou de um princípio de tornado. Segundo o caçador de tempestades, Maycon Zanata, de 28 anos, apenas 1% deste tipo de supercélula evolui para um tornado. 

Este tipo de supercélula pode acontecer em qualquer lugar do mundo, mas dependem do encontro de situações climáticas específicas para sua formação e são mais comuns em regiões de grandes planícies. 

A diferença principal das supercélulas para ventanias comuns está na direção das rajadas, como explica o estudioso. “Enquanto as ventanias comuns possuem ventos direcionais, ou seja, que se movem em uma única direção, as supercélulas criam rotação. Essa rotação na base da nuvem quando ganha força e começa a formar uma espécie de funil de vento. Por este motivo, a parte de baixo começa a sugar objetos que estiverem no chão”, explicou Zanata ao Dourados News

CHUVA

Apesar da alta incidência desse tipo de fenômeno no município, a chuva acumulada para o mês de janeiro ainda não ultrapassou a média de 163mm esperada para este período. Até o dia 28 de janeiro choveu 151,2 em Dourados, de acordo com dados do Guia Clima, plataforma de monitoramento climático da Embrapa Agropecuária Oeste. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Acadêmicos da Unigran podem estudar na Espanha
CAARAPÓ
Carro é apreendido transportando 50 pneus contrabandeados
FISCALIZAÇÃO
Procon notifica 56 postos de combustível a prestar informações sobre estoque e preços
MS
Exportações de soja e milho caem em janeiro
DOURADOS
Propostas para construir bases de 190 casas variam quase meio milhão de reais
BRASIL
Anvisa descarta suspeita de coronavírus em navio no Porto de Santos
MS
PF cita prioridade em investigação sobre suposto atentado contra deputado federal
UNIVERSIDADE
UEMS abre 551 vagas para 32 cursos em 13 cidades
ESTADO
Plantio do milho segue atrasado em comparação com safra anterior
TRÁFICO
Veículo roubado em SP é apreendido com 80kg de maconha

Mais Lidas

VILA SÃO BRÁS
Venezuelanos são flagrados consumindo maconha em bairro de Dourados
DOURADOS
Ferido com tiro no peito, entregador chega pilotando moto na UPA
DOURADOS
VÍDEO: Internos 'batem grade' e queimam colchões em princípio de rebelião na Unei
DOURADOS
Líderes de motim que causou estragos na Unei são levados à delegacia