Menu
Busca quarta, 26 de junho de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Dia da Mulher é na verdade um dia de “luto”, diz teóloga feminista

08 março 2019 - 06h13Por Gizele Almeida

“O Dia Internacional da Mulher para mim não é um dia comemorativo, mas sim um dia de luto. Dia de lembrar das 129 mulheres mortas no incêndio em uma fábrica em Nova York que trabalhavam em condições penosas e de reforçar a luta contra o feminicídio que cresce no país”.

O apontamento é de Lilian Sarat de Oliveira, teóloga feminista, representante do Cebi (Centro de Estudos Bíblicos) e uma das líderes da marcha “Mulheres unidas contra o fascismo”, que ocorre nesta sexta-feira (08), em Dourados.

Para ela, conquistas anteriores devem sim ser celebradas como a conquista do voto, maior espaço no mercado de trabalho, mas o momento é de “resistência”. 

As principais bandeiras do movimento são as lutas contra o feminicídio e contra a retirada de direitos. Em uma página em rede social, cerca de 300 pessoas confirmaram participação no ato. A organização não cita uma estimativa de pessoas presentes.

O movimento acontecerá a partir das 12h, na Praça Antônio João, com a recepção e lanche para mulheres que virão de aldeias e distritos e logo mais às 14h, terá início a caminhada na avenida Marcelino Pires até rua Toshinobu Katayama. O grupo retorna pela avenida posteriormente e se concentra novamente na Praça. 

Lilian destaca que desde fevereiro rodas de conversas tem sido realizadas com grupo de mulheres sobre diversos assuntos e também com o convite para que participem da marcha. Ela destaca a participação já confirmada de mulheres indígenas e camponesas. 

“A violência contra a mulher, o feminicídio, infelizmente ocorrem em área urbana ou rural, mas esses grupos por estarem distantes da sede do município e de delegacias muitas vezes tem mais dificuldades com essas questões e temos trabalhado a informação e conscientização”, disse. 

Para ela, algumas situações recentes reforçam a necessidade das mulheres se unirem por seus direitos, como por exemplo, a Reforma da Previdência proposta pelo Governo Federal, na qual a exigência é aumentar o tempo de contribuição e de trabalho para  homens e mulheres, a diminuição do valor pago pelo BPC (Benefício de Prestação Continuada) da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS), o aumento de casos de violência contra a mulher seja ela física, psicológica ou moral e do feminicídio. 

“As mulheres precisam se posicionar contra o retrocesso das políticas públicas e lutar para combater a violência que insiste em derramar sangue das nossas companheiras. Outras questões que envolvem nossa existência também necessitam de debate como o fundamentalismo religioso e o aborto”, destacou. 

A teóloga acredita que em Mato Grosso do Sul, é necessário maior investimento em segurança pública, em especial no que diz respeito a delegacias de atendimento a mulher. Ela cita que essas unidades precisam ampliar o atendimento, já que atualmente não prestam serviços aos finais de semana e pontua também sobre a necessidade de que profissionais do meio participem de capacitações para atender melhor o público feminino.

A ação em Dourados contará com apresentações culturais e abrirá espaço para debates e explanações sobre diversos temas.

Em todo o país movimentos semelhantes acontecerão na data. Outro ato que tem ganhado ênfase na mídia e nos grupos feministas é a “greve geral”, no dia 08. 

A proposta é que as mulheres não compareçam ao trabalho e não comprem qualquer tipo de mercadoria na data. Lilian enfatiza o movimento como impactante, mas diz que o mesmo não foi proposto em Dourados pelo fato de que não houve sinalização de ampla participação atualmente.   

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESPORTE
Definidos campeões da IX Copa Pantanal de voleibol de base
BRASIL
CCJ do Senado aprova texto que criminaliza abuso de autoridade
LEGISLATIVO
Na relatoria da LDO, Marçal vai priorizar desenvolvimento
LIXO ZERO
Ação para recolher lixo eletrônico começa amanhã em Dourados
ASSEMBLEIA
Deputados aprovam dois projetos de lei em primeira votação
OPERAÇÃO KRIMOJ
Facção abrigava parentes de presos e ‘irmãos’ em casas e mansão na Capital
DOURADOS
Atendimentos no Poupatempo começam no próximo mês
BRASIL
Organização que fraudava tributos federais é alvo de operação da PF
FRONTEIRA
Estudante de medicina morre por suspeita de dengue hemorrágica
DOURADOS
Mulher é presa com mala 'recheada' com maconha

Mais Lidas

DOURADOS
Trans e namorado são presos suspeitos de extorquir cliente após programa
FRONTEIRA
Homem assassinado em estacionamento de shopping é ex-policial
DOURADOS
Jovem morre ao bater moto contra carreta parada no Água Boa
DOURADOS
Homem escapa de tiros na Vila Toscana; ex-namorada e o atual dela seriam os autores