Menu
Busca quinta, 19 de abril de 2018
(67) 9860-3221
BANNER CORPAL TOPO SITE

Deputado Marçal Filho vistoria obras do PAI

26 novembro 2012 - 10h26



O deputado federal Marçal Filho (PMDB) vistoriou sexta-feira as obras do Pronto Atendimento Infantil (PAI) de Dourados e lamentou que a demora da prefeitura em tirar o projeto do papel vai penalizar a população, uma vez que o prédio que poderia ser concluído ainda neste ano, já que os recursos entraram nos cofres do município em abril, só será finalizado no segundo semestre de 2013. "Ao invés de agilizar o emprego do dinheiro para proporcionar o atendimento do PAI às crianças douradenses já no início de 2013, a demora da prefeitura fará com que os serviços só possam ser oferecidos no segundo semestre ou, quem sabe, apenas em 2014", lamenta o deputado.

O dinheiro para construção do Pronto Atendimento Infantil, num total de R$ 1,5 milhão, foi depositado na conta número 66470837, da Prefeitura de Dourados, na agência Centro, da Caixa Econômica Federal, na primeira semana de abril. "Como todo projeto já estava aprovado e o local definido, não havia necessidade de retardar tanto o início dos trabalhos, ou seja, as obras deveriam ter começado, no máximo, em maio e não em novembro", observa Marçal Filho. "Agora, nessa vistoria que fiz sexta-feira, encontrei apenas 12 operários trabalhando e foram eles que informaram que a previsão para conclusão das obras é para o segundo semestre do ano que vem", relata.

Para Marçal Filho, a prefeitura precisa ser mais rápido na execução de obras, principalmente na área da saúde, que é a que mais penaliza a população. “Peregrinei pelos corredores do Congresso, marquei audiências por várias vezes com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha e conversei com seus secretários até conseguir essa verba, para tornar realidade esse projeto que promete revolucionar o atendimento na área da saúde infantil, mas teremos que esperar mais um ano até que as crianças comecem a receber o atendimento que merecem", enfatiza.

O deputado explica que os recursos não foram frutos de emenda parlamentar, mas sim extra-orçamentários. “O Ministério da Saúde tem, em seu orçamento anual, dinheiro para construção de unidades de atenção especializadas em saúde infantil, portanto, abraçamos a proposta da vereadora Délia Razuk (PMDB) e começamos a correr atrás dos recursos em Brasília até confirmar o depósito na conta da prefeitura", observa.

Marçal Filho explica que o Pronto Atendimento Infantil vai humanizar os serviços de saúde voltados às crianças em toda região. “Tudo que é feito na atualidade em termos de pediatria na saúde pública ficará para trás com o Pronto Atendimento Infantil, que tratará criança como criança a partir do momento em que um grupo de profissionais da medicina passará a trabalhar exclusivamente com esse público”, salienta Marçal. "O PAI vai garantir condições ideais de trabalho aos profissionais da saúde, com uma infraestrutura totalmente voltada para as crianças, com pediatria, brinquedoteca e até o fraldário", finaliza Marçal Filho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LÍNGUA
UEMS oferece curso gratuito de Inglês em Dourados e Campo Grande
SOLENIDADE
Brigada Guaicurus de Dourados realiza Formatura do Dia do Exército
INFLUENZA
Gripe H3N2 faz segunda vítima do ano em MS
RIGOR
Entra em vigor lei que aumenta pena para motorista embriagado
PRAZO
Inscrições para seleção de estagiário do TRE/MS terminam hoje
APARECIDA DO TABOADO
Corpo de jovem de 21 anos é encontrado boiando em rio
TEMPO
Quinta-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
SHOWBIZ
Thaila Ayala aprecia a natureza de biquíni em cima de uma pedra
IMUNIZAÇÃO
Campanha de vacinação contra gripe começa na proxima segunda-feira
ITAPORÃ
Mortos em troca de tiros após assalto tinham 14 passagens pela polícia

Mais Lidas

ITAPORÃ
Mortos em troca de tiros após assalto eram de Dourados
SEGURANÇA PÚBLICA
Em comunicado, PCC convoca integrantes para “alerta geral”
DOURADOS
Após invadir Ceim, dupla ameaça vigia de morte e rouba equipamentos
TENSÃO EM MS
Presos tentam impedir pente-fino na PED, mas agentes fazem ‘limpa’