Menu
Busca sexta, 21 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221
DOURADOS

Delegado quer identificar testemunhas de crime no cinema e perícia em celular

13 julho 2019 - 09h30Por André Bento

O delegado Francis Flávio Tadano Araújo Freire, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Dourados, determinou que a equipe de investigação identifique e conduza para depoimento pessoas que testemunharam o assassinato do bioquímico Julio Cesar Cerveira Filho, 43 anos. Ele foi morto na segunda-feira (8) com um tiro no peito, disparado pelo policial militar Dijavan Batista dos Santos, de 37 anos, dentro do cinema do shopping da cidade.

Em despacho proferido na quinta-feira (11), o responsável pelo inquérito policial estabeleceu prazo de 48 horas para que isso fosse feito, o que deve resultar em desfecho até segunda-feira (15). Além disso, pediu autorização judicial para quebra do sigilo telefônico do assassino confesso para confirmar a versão apresentada por ele em depoimento, de que acionou socorro médico e autoridades logo após o crime.

Preso em flagrante delito pela prática do crime de homicídio, o cabo da PM (Polícia Militar) lotado no Pelotão Ambiental de Dourados teve o aparelho celular apreendido. E no interrogatório, informou tê-lo utilizado para acionar a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, após ocorrer o disparo contra a vítima.

No pedido feito à 3ª Vara Criminal de Dourados para obter autorização de análise e perícia em aparelho celular apreendido, o delegado justificou que “a medida visa obter elementos de informação que possam auxiliar na completa elucidação do crime, notadamente verificar se realmente o indiciado efetuou as ligações à Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, conforme dito em seu interrogatório”.

Em manifestação protocolizada sexta-feira (12) ao processo por homicídio simples movido contra Dijavan, o promotor de Justiça Luiz Eduardo Sant'anna Pinheiro manifestou-se favorável ao pedido do delegado, reforçando ao juiz Eguiliell Ricardo da Silva a necessidade de autorização para “exame de todos os dados armazenados no aparelho celular apreendido nos autos”.

FAMÍLIAS

Também na quinta-feira, o delegado que conduz as investigações determinou que sejam convocados para depor a esposa, de 45 anos, e a filha da vítima, de 16 anos, além de um dos filhos do autor do crime, de 9 anos.

O delegado ainda solicitou remessa dos laudos de necropsia, bem como da arma e munições apreendidos, para a URPI (Unidade Regional de Perícia e Identificação). Essa mesma medida deve ser tomada com arquivos de vídeo enviados pela Empresa Cinematográfica Araçatuba, administradora do cinema onde ocorreu o homicídio.

Foram solicitados registros de acionamento referente ao caso para o Ciosp e a Sala Rádio da Guarda Municipal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
UEMS publica terceira Chamada da Lista de Espera do Sisu
COXIM
Investigado por estuprar crianças, idoso usava presentes para atrair vítimas
FUTEBOL
MP libera estádio de Maracaju, mas com limite de até mil torcedores
ERRO
Motociclista executado na Capital pode ter morrido por engano
CARNAVAL
Sete escolas abrem nesta sexta desfile do Grupo Especial de São Paulo
INTERIOR
Perseguido pela polícia, homem fica gravemente ferido em acidente
BRASIL
Estados Unidos reabrem mercado para a carne bovina in natura do Brasil
JUSTIÇA
Acidente causado por animal deve ser indenizado por concessionária
BRASIL
PRF flagra mais de duas mil ultrapassagens proibidas em rodovias federais
TRATAMENTO
Servidor é indiciado por furtar computadores com projetos da Seinfra

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher ameaça se jogar de torre no Jardim Guaicurus
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018
DOURADOS
Fechamento e promoções levam multidão a fazer fila em hipermercado
DOURADOS
Polícia vai ao Guaicurus e prende condenado por pedofilia