Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Delegado quer identificar testemunhas de crime no cinema e perícia em celular

13 julho 2019 - 09h30Por André Bento

O delegado Francis Flávio Tadano Araújo Freire, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Dourados, determinou que a equipe de investigação identifique e conduza para depoimento pessoas que testemunharam o assassinato do bioquímico Julio Cesar Cerveira Filho, 43 anos. Ele foi morto na segunda-feira (8) com um tiro no peito, disparado pelo policial militar Dijavan Batista dos Santos, de 37 anos, dentro do cinema do shopping da cidade.

Em despacho proferido na quinta-feira (11), o responsável pelo inquérito policial estabeleceu prazo de 48 horas para que isso fosse feito, o que deve resultar em desfecho até segunda-feira (15). Além disso, pediu autorização judicial para quebra do sigilo telefônico do assassino confesso para confirmar a versão apresentada por ele em depoimento, de que acionou socorro médico e autoridades logo após o crime.

Preso em flagrante delito pela prática do crime de homicídio, o cabo da PM (Polícia Militar) lotado no Pelotão Ambiental de Dourados teve o aparelho celular apreendido. E no interrogatório, informou tê-lo utilizado para acionar a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, após ocorrer o disparo contra a vítima.

No pedido feito à 3ª Vara Criminal de Dourados para obter autorização de análise e perícia em aparelho celular apreendido, o delegado justificou que “a medida visa obter elementos de informação que possam auxiliar na completa elucidação do crime, notadamente verificar se realmente o indiciado efetuou as ligações à Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, conforme dito em seu interrogatório”.

Em manifestação protocolizada sexta-feira (12) ao processo por homicídio simples movido contra Dijavan, o promotor de Justiça Luiz Eduardo Sant'anna Pinheiro manifestou-se favorável ao pedido do delegado, reforçando ao juiz Eguiliell Ricardo da Silva a necessidade de autorização para “exame de todos os dados armazenados no aparelho celular apreendido nos autos”.

FAMÍLIAS

Também na quinta-feira, o delegado que conduz as investigações determinou que sejam convocados para depor a esposa, de 45 anos, e a filha da vítima, de 16 anos, além de um dos filhos do autor do crime, de 9 anos.

O delegado ainda solicitou remessa dos laudos de necropsia, bem como da arma e munições apreendidos, para a URPI (Unidade Regional de Perícia e Identificação). Essa mesma medida deve ser tomada com arquivos de vídeo enviados pela Empresa Cinematográfica Araçatuba, administradora do cinema onde ocorreu o homicídio.

Foram solicitados registros de acionamento referente ao caso para o Ciosp e a Sala Rádio da Guarda Municipal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Barragem com rejeitos nucleares em MG terá novo sistema em 14 meses
ESTADO
Grupo da UEMS apresenta dois espetáculos de dança nesta semana
BRASIL
Marinha disponibiliza navio para reforçar equipes no Delta do Parnaíba
MS
Criminalidade no Estado teve queda em 2019, diz governo
DOURADOS
Refinaria que deve gerar 300 empregos será inaugurada dia 25
Paranaíba
Inscrições para processo seletivo de estagiários seguem abertas em fórum
DOURADOS
Mostra Cultural Saberes Indígenas começa nesta semana
BRASIL
Mais de 70 mil candidatos fazem hoje vestibular da Unicamp
HU-UFGD
Mesa redonda e encontro de mães marcam o Dia da Prematuridade
TECNOLOGIA
Alto-falantes inteligentes chegam ao Brasil com novas funções e riscos

Mais Lidas

POLÍCIA
Vereador é agredido e roubado quando ia para igreja em Dourados
DOURADOS
Motociclista fica gravemente ferido após colisão no Parque Alvorada
FURTO
Casal é flagrado dentro de panificadora fechada na madrugada
DOURADOS
Mulher ameaça policiais com facão em abordagem por manobras perigosas