Menu
Busca terça, 28 de janeiro de 2020
(67) 9860-3221
DOURADOS

Classes política e empresarial cobram bancada de MS e pedem "socorro" por obras no aeroporto

17 julho 2019 - 10h05Por André Bento

Representantes das classes política e empresarial de Dourados pedem socorro à bancada federal de Mato Grosso do Sul para reverter o corte de R$ 30 milhões das obras do Aeroporto Regional Francisco de Matos Pereira, anunciado na semana passada pela União. Sem o dinheiro, avaliam que haverá prejuízo e vergonha para a maior cidade do interior do Estado.

Conforme já revelado pelo Dourados News, no dia 12 de julho o Diário Oficial da União detalhou que dos R$ 50 milhões previstos para obras de reforma e ampliação, R$ 30 milhões foram realocados para utilização em outras frentes pelo país, principalmente habitacional. A medida foi apresentada na portaria número 169 de 11 de julho de 2019, publicada pelo Ministério da Economia, em abertura de crédito suplementar no valor de R$ 1.280.000.000,00 destinado ao Ministério do Desenvolvimento Regional.

Na terça-feira (16), pouco antes de embarcar para Brasília e tomar posse no mandato de deputado federal por um dia, Geraldo Resende (PSDB) revelou que aproveitaria essa ocasião para tentar reverter essa situação. 

“Estou querendo ir no Ministério para ver o aeroporto de Dourados, porque lideranças da cidade me pediram e me parece que nenhum deputado assumiu essa bandeira. Vou ver como o governo vai suprir esses cortes”, detalhou.

Um dia antes, o presidente da Câmara de Dourados, vereador Alan Guedes (DEM), manifestou publicamente preocupação com o corte orçamentário e pediu união de esforços de toda sociedade.

“Esse será um prejuízo imensurável para a cidade. É uma questão que deve ser encarada por todos, além dos vereadores, todas as entidades de classe do município e sociedade, para que este ato do governo não seja consolidado e que possamos conseguir reverter a situação", pontuou.

O chefe do Legislativo mencionou que o Aeroporto Regional de Dourados “é uma porta fundamental para o desenvolvimento econômico da Grande Dourados”. “A nossa bancada federal e o governo estadual também precisam unir esforços para não perdermos estes investimentos", cobrou.

Opinião semelhante foi manifestada por Domingos Venturini, diretor de assuntos estratégicos da Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados) que acompanha as tratativas para obra do aeroporto há anos. Ele avalia que basta vontade política para reverter o corte.

“A gente fica preocupado [com o corte orçamentário] porque é mais uma demora para obra. Foi só emenda do terminal que foi cortada, mas se tiver vontade política por parte dos deputados e senadores de Mato Grosso do Sul pode reverter. É mais discussão política do que técnica”, disse ao Dourados News nesta manhã.

Segundo o representante da classe empresarial, a primeira fase da obra, a ser executada pelo Exército Brasileiro para ampliação e restauração da pista de pouso e decolagem, execução de nova pista de taxiway, pátio de aeronaves e áreas de escape, não deve ser afetada.

No entanto, Venturini deixa um alerta: “Os políticos de Dourados têm que se unir independentemente de partido. Estamos mantendo agenda com o pessoal, estamos cobrando isso. Quem está empenhado nessa discussão é o general, porque vai ficar muito feito se fizer pista e pátio bons e não tiver uma estação de passageiros adequada”, pontuou.

Apontado pela Prefeitura de Dourados como assessor especial de Planejamento Estratégico diretamente ligado às tratativas com o Exército para execução da obra no aeroporto, José Elias Moreira foi procurado pela reportagem, mas não quis comentar o corte orçamentário e limitou-se a dizer que estava Campo Grande tratando justamente disso e só poderia falar na volta, durante a tarde.

Eleita em 2018 como “a primeira senadora douradense”, Soraya Thronike (PSL) publicou vídeo nas redes sociais durante a noite de ontem no qual disse ter acabado de sair de reunião no Ministro de Infraestrutura para discutir esse tema. Contudo, revelou ter sido informada que o lugar certo é o Ministério da Economia, onde iria hoje.

Proposta na segunda-feira (15) pelo Dourados News, enquete que questiona a percepção dos leitores sobre o corte de investimento para reforma do aeroporto de Dourados aponta, conforme resultado parcial, que a falta de articulação política é vista como principal motivo.

Dos votos computados até agora, 81,94% consideram que isso “só mostra a falta de articulação política no município e uma bancada federal que pouco se importa com a cidade”, enquanto 13,89% afirmam que “já era aguardado” e 4,17% acreditam que “não vai influenciar nos voos já programados”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NAVIRAÍ
Jovem de 22 anos é estuprada após ter casa invadida na madrugada
ENEM
AGU recorre de decisão que suspende divulgação do Sisu
TRÊS LAGOAS
Após exames, Secretaria de Saúde descarta morte de idoso por dengue
AVIAÇÃO CIVIL
Cade aprova sem restrições compra de parte da Embraer pela Boeing
CAPITAL
Motorista de aplicativo fica paraplégico após acidente em parque aquático
ECONOMIA
Dourados está entre as cidades que mais geraram empregos em 2019
RIO BRILHANTE
Homem morre afogado após se joga de tronco de árvore em rio
SAÚDE
Ana Maria Braga revela que está com câncer no pulmão
IVINHEMA
Médico é preso suspeito de estuprar a ex-enteada de nove anos
JUSTIÇA
Loja é condenada a indenizar cliente vítima de golpe de funcionário

Mais Lidas

DOURADOS
Motociclista bate em caminhão da coleta de lixo e fica em estado gravíssimo
MS
Homem é acusado de colocar sedativo no leite para abusar de enteada
DOURADOS
Designação para escolas e Ceim’s acontece neste sábado
DOURADOS
Carros com som alto e na contramão levam Guarda a dois motoristas bêbados