Menu
Busca domingo, 18 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
DOURADOS

Chuva atrasa colheita, mas milho safrinha não terá perdas

07 julho 2015 - 14h30

A chuva atrasou o início da colheita do milho safrinha na região de Dourados. Muitos produtores que começariam os trabalhos na semana passada foram impedidos devido à chuva que teve início no dia 30 de junho e vem se mantendo. A pesar da umidade, os produtores não terão perdas na qualidade do grão, é o que conta o pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Carlos Ricardo Fietz.

“A chuva não traz riscos de perdas, até porque o milho fica protegido na palha, o problema é que o solo está úmido, sendo preciso esperar o tempo abrir com sol para colher”, disse o pesquisador.

De acordo com dados da Aprosoja-MS, de 22 à 25 de junho, o Estado, colheu apenas 2% da safra, o município em que estava mais avançado na colheita é Caarapó com 8%.

Nos mesmos dados apresentados, consta que Dourados não havia iniciado a colheita, e um dos motivos pode ser mediante ao volume de chuvas, que de acordo com Fietz, nos primeiros seis dias do mês de julho já choveu 42 milímetros, quase a totalidade da média histórica do período, que é de 50 milímetros.

“O volume de chuvas até o momento quase alcançou a média prevista para o mês todo, são 8 mm de diferença e a previsão é de chuvas alternadas para esta semana, porém há 37 anos que realizamos levantamento e neste período a previsão é de tempo seco”, disse Carlos.

Um dos fatores que pode explicar a mudança no volume de chuva, neste período, de acordo com o pesquisar, é a influência do fenômeno El Niño, porém, o fato não é afirmado como único causador.

“Com o El Niño as águas do pacífico ficam mais quentes que o normal e a tendência é que as chuvas sejam mais intensas e muitos pesquisadores contam que ele está presente na região, com pouca intensidade. Pode ser uma das explicações, mas não podemos afirmar ao certo. Assim como pode ser um fenômeno natural também”, conta Fietz.

Sobre a previsão de chuva e frio para os próximos dias, ele disse que a tendência é de tempo seco e não há risco de geadas, mas são apenas previsões e podem ser alteradas.

“Ainda não registramos temperaturas baixas na região que trouxessem geadas. A previsão é que este seja um inverno mais ameno, como no ano passado, sem temperaturas muito baixas. Em Dourados a temperatura mínima registrada foi no dia 16 de junho, com 6ºC. Porém pode acontecer geada nos próximos meses, mas nada certo ainda”, explicou Carlos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRANSFORMADOR
Manutenção pode provocar falta de água em todos os bairros de Dourados
VILA VARGAS
Final do 16º Interdistrital de Futebol será realizado neste domingo
FACADAS
Traficante brasileiro mata namorada dentro de cela no Paraguai
TEMPO
Domingo nublado com possibilidade de chuva em Dourados
POLÍTICA
Comissão sobre Escola sem Partido faz nova tentativa de votar relatório
POLÍTICA
Em encontro com Maia e Bolsonaro, governadores defendem votação de projetos para enfrentar crise
ECONOMIA
União já pagou este ano R$ 3,5 bi em dívidas atrasadas dos estados
TRÊS LAGOAS
Homem cai em golpe ao tentar comprar carro na internet
MATO GROSSO DO SUL
Edital para inserção de jovens no mercado de trabalho está aberto até dezembro
Processo visa a seleção de entidades que possam atuar, em parceria com a SED, no acompanhamento de estudantes, matriculados no ensino médio, para a atuação profissional.
TV
Samantha Schmütz celebra papel dramático em 'Carcereiros': 'Porta para o público me ver de uma maneira diferente'

Mais Lidas

DOURADOS
Bandido armado faz arrastão do Flórida ao Centro durante a noite
DOURADOS
Dupla desobedece ordem de parada, é perseguida e acaba presa em flagrante por porte de arma
CAMPO GRANDE
Homem se joga do 9° andar de hotel luxuoso na Capital
NOVA ALVORADA DO SUL
Acidente entre dois veículos termina com dois feridos e BR-163 interditada