Menu
Busca quarta, 17 de julho de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Chuva atrasa colheita, mas milho safrinha não terá perdas

07 julho 2015 - 14h30

A chuva atrasou o início da colheita do milho safrinha na região de Dourados. Muitos produtores que começariam os trabalhos na semana passada foram impedidos devido à chuva que teve início no dia 30 de junho e vem se mantendo. A pesar da umidade, os produtores não terão perdas na qualidade do grão, é o que conta o pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Carlos Ricardo Fietz.

“A chuva não traz riscos de perdas, até porque o milho fica protegido na palha, o problema é que o solo está úmido, sendo preciso esperar o tempo abrir com sol para colher”, disse o pesquisador.

De acordo com dados da Aprosoja-MS, de 22 à 25 de junho, o Estado, colheu apenas 2% da safra, o município em que estava mais avançado na colheita é Caarapó com 8%.

Nos mesmos dados apresentados, consta que Dourados não havia iniciado a colheita, e um dos motivos pode ser mediante ao volume de chuvas, que de acordo com Fietz, nos primeiros seis dias do mês de julho já choveu 42 milímetros, quase a totalidade da média histórica do período, que é de 50 milímetros.

“O volume de chuvas até o momento quase alcançou a média prevista para o mês todo, são 8 mm de diferença e a previsão é de chuvas alternadas para esta semana, porém há 37 anos que realizamos levantamento e neste período a previsão é de tempo seco”, disse Carlos.

Um dos fatores que pode explicar a mudança no volume de chuva, neste período, de acordo com o pesquisar, é a influência do fenômeno El Niño, porém, o fato não é afirmado como único causador.

“Com o El Niño as águas do pacífico ficam mais quentes que o normal e a tendência é que as chuvas sejam mais intensas e muitos pesquisadores contam que ele está presente na região, com pouca intensidade. Pode ser uma das explicações, mas não podemos afirmar ao certo. Assim como pode ser um fenômeno natural também”, conta Fietz.

Sobre a previsão de chuva e frio para os próximos dias, ele disse que a tendência é de tempo seco e não há risco de geadas, mas são apenas previsões e podem ser alteradas.

“Ainda não registramos temperaturas baixas na região que trouxessem geadas. A previsão é que este seja um inverno mais ameno, como no ano passado, sem temperaturas muito baixas. Em Dourados a temperatura mínima registrada foi no dia 16 de junho, com 6ºC. Porém pode acontecer geada nos próximos meses, mas nada certo ainda”, explicou Carlos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
De biquíni em Paraty, Mariana Ximenes suspira: "Pode já querer voltar?"
CAPITAL
Esposa de defensor público é encontrada morta em residência
POLÍCIA
Vítima de tiro do pai, estudante presta depoimento e diz que vai embora
TJ/MS
Coordenadora da Mulher debate violência de gênero em Genebra
BELA VISTA
Trabalhador procura polícia para denunciar trabalho escravo em carvoaria
STF
Decisão de Toffoli paralisa inquéritos de lavagem, diz Chefe da Lava Jato
PORTO MURTINHO
Homem disse que acordou com onça pintada nas costas, diz médico
NAVIRAÍ
Ladrões que invadiram casa de vereadora e roubaram joias são presos
BRASIL
Lista do Não me Perturbe já tem mais de 600 mil pessoas cadastradas
CAMPO GRANDE
Homem é executado com três tiros no interior de veículo

Mais Lidas

DOURADOS
Coordenadora de Ceim é exonerada e pais fazem abaixo-assinado para tentar mantê-la
POLÍCIA
Investigação vê indícios de relação entre homicídios no Jardim Pantanal e Guanabara
DOURADOS
Assassinado em conveniência já cumpriu pena por tráfico e lavagem de dinheiro
DOURADOS
Upiran entrega carta de demissão a Délia e aguarda substituto para deixar Educação