Menu
Busca quarta, 18 de julho de 2018
(67) 9860-3221
DIVERSIDADE

Centro promove amanhã roda de conversa 'Visibilidade LGBT'

25 setembro 2017 - 07h18

Nesta terça-feira, dia 26 de setembro, às 13h30, no Centro de Convivências da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), localizada na Unidade 2, Cidade Universitária a Ouvidoria da instituição vai promover uma roda de conversa com o tema 'Visibilidade LGBT', como parte das palestras oferecidas pelo projeto de extensão #UFGD Sem Opressão. A participação na roda de conversa é aberta a todas as pessoas, sejam LGBTs ou não.

Esse é o terceiro evento do projeto, que já contou com a "Roda de conversa: Violência no ambiente de trabalho – Mulheres sem Opressão" ocorrido em março, e as palestras "Discussões sobre Assédio Moral", ocorridas em maio. O próximo, previsto para acontecer em dezembro, irá tratar sobre Discriminações Etnicorraciais.

Para contribuir com a Roda de Conversa haverá a presença da estudante Nosly Mel (Pedagogia/UFGD), da professora Simone Becker (Fadir/UFGD), de integrantes do Coletivo Dandara dos Santos e do professor Cleiton Zóia Munchow (Filosofia/IFMS). A proposta é o compartilhamento de experiências, relatos e questionamentos sobre o tema, portanto é livre a manifestação de qualquer pessoa presente. Após este momento teremos uma Oficina de Cartazes sobre as questões debatidas.

Com este projeto, a Ouvidoria da UFGD pretende, além de prestar atendimento às manifestações dos cidadãos, promover o aprimoramento constante de políticas e serviços públicos para que haja modificações de pensamentos e atitudes, assim como trocas de experiências sobre algumas temáticas consideradas polêmicas.

Com base nas demandas recebidas pela Ouvidoria nos anos de 2015 e 2016, o #UFGD Sem Opressão foi proposto e aprovado na Pró-reitoria de Extensão e Cultura com o objetivo de contribuir para a conscientização e erradicação das opressões nas relações pessoais ocorridas no ambiente administrativo e universitário da UFGD.

Segundo a Ouvidora da UFGD, Ariane Rigotti, a ideia é conscientizar sobre as formas de opressão de gênero e sexualidade, assim como sobre as diversas maneiras de vivenciar e resistir nesse espaço. "É comum, ainda, que pessoas LGBT+ sejam convencidas de que o ambiente universitário não é o "seu lugar", portanto esse espaço é uma oportunidade de dar visibilidade e voz a essa população. Contamos com a união da comunidade acadêmica para, juntos, criarmos um ambiente cada vez mais respeitoso e eficaz no respeito à diversidade de gênero e sexualidade, assim como no repúdio, prevenção e punição de quaisquer formas de Lgbtfobia", destacou.

###Visibilidade LGBT
O Brasil possui uma das mais altas taxas de lgbtfobia notificada, que infelizmente vem crescendo cada dia mais. Em 2016, segundo a Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e Intersexuais, 340 LGBTs foram mortos no Brasil. É quase uma vítima por dia, sendo até então, o maior número já registrado na história. São crimes de ódio relacionados à orientação sexual e identidade de gênero e a faixa etária mais atingida é a de jovens de 15 a 30 anos, justamente a faixa predominante entre estudantes universitários.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AUTORIZAÇÃO RESTRITA
STF autoriza Cristiane Brasil a participar de reunião do PTB
TAILÂNDIA
"Javalis Selvagens" contam aventura dos 12 dias em caverna
SEM PLANO "B"
CBF aguarda resposta de Tite até o fim de semana
ESTATÍSTICA
Brasil teve mais de 21 mil assassinatos de janeiro a maio de 2018
BONITO
PMA autua fazendeiro em R$ 47 mil por desmatamento ilegal de cinco áreas de vegetação nativa
FICÇÃO/REALIDADE
Crime de Suzane Von Richthofen vai virar filme
SEGURANÇA PÚBLICA
Agepen regulamenta realização de escoltas por agentes penitenciários
MINISTÉRIO PÚBLICO
Recomendação estabelece parâmetros para avaliação de membros do MPE
FUTEBOL AMADOR
Interdistrital prossegue domingo com clássico em Vila Vargas
BENEFÍCIO
Pagamento da primeira parcela do 13º de aposentados começa em agosto

Mais Lidas

DUPLO HOMICÍDIO
Duas pessoas são assassinadas em Dourados
DOURADOS
Dupla em Corsa branco teria executado homens em Sitioca
DUPLO HOMICÍDIO
Polícia identifica uma das vítimas de assassinato em Dourados
DOURADOS
Acusado de matar mecânico confessa assassinato de homem no Flórida