Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
(67) 9860-3221

Cem dias: com fiscalização, Procon defende consumidor

03 junho 2011 - 07h48

Para garantir o cumprimento do Código de Defesa do Consumidor, a Prefeitura de Dourados, através do Procon, realiza pesquisas de preços e fiscaliza o cumprimento da lei em estabelecimentos comerciais do município. Em pouco menos de três meses foram realizadas sete pesquisas de preço de produtos, incluindo combustíveis e cesta básica.



“Os fiscais relacionam o produto e o preço praticado. Após ese levantamento fazem um balanço dos menores e maiores valores. Essa pesquisa fica à disposição da população, que pode conferir antes de comprar. Com isso a comunidade pode economizar”, afirma o diretor do Procon, Rozemar Mattos.



Durante as fiscalizações da aplicação do CDC em supermercados, os fiscais vistoriam preço, prazo de validade e armazenamento dos produtos. “Encontramos muitos estabelecimentos que expõem o produto com um preço e no caixa o valor é diferente. Por isso o consumidor precisa ficar atento e deve conferir a nota fiscal ou até mesmo no caixa, enquanto a compra é contabilizada”, alerta o diretor.



A fiscalização atinge também agências bancárias. Conforme legislação, o tempo de espera é de até 15 minutos em dias normais e de 20 um dia antes ou depois de feriado.



De acordo com o Código do Consumidor, os produtos expostos, como roupas e calçados, devem ter etiqueta com preço. “Uma das normas do código é que os itens das vitrines devem apresentar o valor da cada peça. Empresas que não colocam etiqueta são autuadas e caso não se adaptam ao CDC são multadas”, afirma Rozemar.



De fevereiro até agora foram realizadas 39 fiscalizações em agências bancárias e comércios.

Além das fiscalizações o Procon atende a população que procura o órgão em busca de informações. Em três meses foram realizados 823 atendimentos, dos quais 500 reclamações foram efetivamente registradas. “Muitos procuram o Procon para tirar dúvidas quanto ao seu direito como consumidor. Dependendo, registra o protesto”, explica o diretor.



Conforme o Rozemar, pelo menos 75% das reclamações registradas são contra empresas de telefonia. Após o registro de reclamação, o Departamento Jurídico do Procon entra em contato com a empresa para tentar um acordo entre as partes envolvidas.



Outra ação do Procon é a garantir à população o direito à meia-entrada em shows, cinemas e teatros. “Ficamos atentos quando há o anúncio de qualquer tipo de apresentação com venda de ingresso. Muitos organizadores tentam burlar a lei e modificar a cobrança para evitar a meia-entrada. Já fiscalizamos o comércio de ingressos pela metade do preço em 14 eventos”, destaca Rozemar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Barragem com rejeitos nucleares em MG terá novo sistema em 14 meses
ESTADO
Grupo da UEMS apresenta dois espetáculos de dança nesta semana
BRASIL
Marinha disponibiliza navio para reforçar equipes no Delta do Parnaíba
MS
Criminalidade no Estado teve queda em 2019, diz governo
DOURADOS
Refinaria que deve gerar 300 empregos será inaugurada dia 25
Paranaíba
Inscrições para processo seletivo de estagiários seguem abertas em fórum
DOURADOS
Mostra Cultural Saberes Indígenas começa nesta semana
BRASIL
Mais de 70 mil candidatos fazem hoje vestibular da Unicamp
HU-UFGD
Mesa redonda e encontro de mães marcam o Dia da Prematuridade
TECNOLOGIA
Alto-falantes inteligentes chegam ao Brasil com novas funções e riscos

Mais Lidas

POLÍCIA
Vereador é agredido e roubado quando ia para igreja em Dourados
DOURADOS
Idoso é fechado por criminosos na Marcelino, é derrubado e tem moto ‘zero km’ roubada
PORTO MURTINHO
Velório é interrompido e corpo de menina afogada recolhido para perícia
DOURADOS
Motociclista fica gravemente ferido após colisão no Parque Alvorada