Menu
Busca sexta, 23 de fevereiro de 2018
(67) 9860-3221
Clube Indaiá - Janeiro 2018
TRANSPORTE PÚBLICO

Aumento da tarifa deve ser definido em um mês

Aumento da tarifa de transporte público deve ser definido em um mês

07 dezembro 2017 - 17h20Por Gizele Almeida

Na tarde desta quinta-feira (07), ocorreu uma audiência pública no CAM (Centro Administrativo Municipal) para debater sobre reajuste na tarifa do transporte público de Dourados. A empresa responsável, Medianeira Dourados, sugere um novo valor de R$ 3,66. A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) informou que o prazo para definir sobre o reajuste é de 30 dias em média. 

O gerente da empresa, Marcelo Saccol, realizou uma apresentação de forma a explicar sobre a necessidade do reajuste, o qual segundo ele, não ocorre desde agosto de 2015. 

Com dados sobre aumento do combustível, custos de rodagem, manutenção, impostos, entre outros, o valor proposto pela empresa é de R$ 3,66. O atual é R$ 3,00. 


“O valor viável a ser praticado na cidade hoje, conforme acusou a planilha seria de R$ 3,66, isso com dados de agosto deste ano e sem a discussão salarial aplicada de 2017. Quem vai colocar o preço de valor de tarifa é o município, acredito que vai haver o princípio da razoabilidade”, pontuou. 

O gerente afirma que o cálculo é feito com base em uma planilha elaborada por técnicos de transporte e por especialistas das principais prefeituras e universidades do Brasil. Quanto ao novo valor, ele diz não incluir “o debate sobre o acordo coletivo e toda discussão salarial que vai acontecer a partir de agora e ficará posteriormente para próxima tarifa”. 

O diretor da Agetran, Carlos Fábio Selhrost, disse que a audiência pública foi positiva. Para ele, o reajuste será inevitável, no, entanto será feita uma análise da Agência para direcionar o percentual do reajuste. 

“A questão do aumento será discutida para quanto será. Não vai ser de uma vez pois irá atingir a população que mais necessita e usa esse transporte. A equipe técnica vai avaliar os valores, é indiscutível que terá que ocorrer o reajuste pelo período sem aumento, mas vamos estudar uma forma para que seja bom para os dois lados (população e empresa)”, citou. 

O prazo citado pelo diretor para definições é de um mês em média. 

Outro ponto colocado pelo gerente da Medianeira que impacta na necessidade de reajuste é a grande quantidade de passageiros beneficiados com descontos ou gratuidade integral em Dourados. 

“Gratuidades e descontos pesam no custo da tarifa. Em Dourados, conforme cálculo tarifário os gratuitos representam 42% dos passageiros. Levando-se em conta a tarifa de R$ 3,66, hoje apurada, estes passageiros representam R$ 1,53 no valor tarifário”, explica. 

Serviço

Questionado sobre o serviço prestado pela empresa ao município, o diretor apontou como “razoável”. 
“O serviço está razoável, tem algumas falhas estamos propondo a empresa para que esteja resolvendo. A Agetran seguirá fiscalizando e buscando o melhor para nossa sociedade”, disse. 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAPUCAIA
Motociclista sem capacete morre após colidir em ônibus escolar
ECONOMIA
Bandeira tarifária segue verde, e conta de luz continua sem extra
BRASIL
Quase metade dos municípios ainda não prestaram contas de gastos com educação
EDUCAÇÃO
UFGD divulga lista dos aprovados na quinta chamada do Vestibular 2018
BONITO
Abertas inscrições para o XXIII Encontro de Apoio à Adoção
REALITY SHOW
Ameaçado, Diego vence prova do anjo e ganha poder no BBB18
COMPETIÇÃO
Porto Murtinho promove torneio de pesca neste final de semana
ECONOMIA
Dólar fecha em queda, mas acumula alta na semana
ERRO
Diário Oficial traz convocação de três “fulanos”
DOURADOS
Para coordenador da Funai, afirmação de Bolsonaro “incita ódio e não ajuda em nada”

Mais Lidas

MS-276
Homem morre em acidente entre Indápolis e Lagoa Bonita
DOURADOS
Fundadora de creche vai à polícia após denúncia de agressão
DOURADOS
Mulher é baleada durante assalto na avenida Indaiá
AVENIDA INDAIÁ
Baleada em assalto em Dourados passa por cirurgia