Menu
Busca terça, 19 de junho de 2018
(67) 9860-3221
TRANSPORTE PÚBLICO

Aumento da tarifa deve ser definido em um mês

Aumento da tarifa de transporte público deve ser definido em um mês

07 dezembro 2017 - 17h20Por Gizele Almeida

Na tarde desta quinta-feira (07), ocorreu uma audiência pública no CAM (Centro Administrativo Municipal) para debater sobre reajuste na tarifa do transporte público de Dourados. A empresa responsável, Medianeira Dourados, sugere um novo valor de R$ 3,66. A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) informou que o prazo para definir sobre o reajuste é de 30 dias em média. 

O gerente da empresa, Marcelo Saccol, realizou uma apresentação de forma a explicar sobre a necessidade do reajuste, o qual segundo ele, não ocorre desde agosto de 2015. 

Com dados sobre aumento do combustível, custos de rodagem, manutenção, impostos, entre outros, o valor proposto pela empresa é de R$ 3,66. O atual é R$ 3,00. 


“O valor viável a ser praticado na cidade hoje, conforme acusou a planilha seria de R$ 3,66, isso com dados de agosto deste ano e sem a discussão salarial aplicada de 2017. Quem vai colocar o preço de valor de tarifa é o município, acredito que vai haver o princípio da razoabilidade”, pontuou. 

O gerente afirma que o cálculo é feito com base em uma planilha elaborada por técnicos de transporte e por especialistas das principais prefeituras e universidades do Brasil. Quanto ao novo valor, ele diz não incluir “o debate sobre o acordo coletivo e toda discussão salarial que vai acontecer a partir de agora e ficará posteriormente para próxima tarifa”. 

O diretor da Agetran, Carlos Fábio Selhrost, disse que a audiência pública foi positiva. Para ele, o reajuste será inevitável, no, entanto será feita uma análise da Agência para direcionar o percentual do reajuste. 

“A questão do aumento será discutida para quanto será. Não vai ser de uma vez pois irá atingir a população que mais necessita e usa esse transporte. A equipe técnica vai avaliar os valores, é indiscutível que terá que ocorrer o reajuste pelo período sem aumento, mas vamos estudar uma forma para que seja bom para os dois lados (população e empresa)”, citou. 

O prazo citado pelo diretor para definições é de um mês em média. 

Outro ponto colocado pelo gerente da Medianeira que impacta na necessidade de reajuste é a grande quantidade de passageiros beneficiados com descontos ou gratuidade integral em Dourados. 

“Gratuidades e descontos pesam no custo da tarifa. Em Dourados, conforme cálculo tarifário os gratuitos representam 42% dos passageiros. Levando-se em conta a tarifa de R$ 3,66, hoje apurada, estes passageiros representam R$ 1,53 no valor tarifário”, explica. 

Serviço

Questionado sobre o serviço prestado pela empresa ao município, o diretor apontou como “razoável”. 
“O serviço está razoável, tem algumas falhas estamos propondo a empresa para que esteja resolvendo. A Agetran seguirá fiscalizando e buscando o melhor para nossa sociedade”, disse. 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Jessica Ellen faz ensaio nu e celebra "iniciar novos ciclos"
PARANHOS
Calote em venda de fazenda teria motivado atentado a prefeito
JUSTIÇA
Acusado de tentativa de homicídio vai a júri popular nesta terça-feira
ECONOMIA
Decolar.com é multada em R$ 7,5 milhões pela prática de “geopricing”
TRÊS LAGOAS
Dupla armada rende funcionária de clínica para roubar caminhonete
FRONTEIRA
Jovem tem cabelo cortado e acusa duas mulheres de agressão
LAVA JATO
PF indicia ex-procurador Marcelo Miller e Joesley Batista por corrupção
RURAL
Produtores terão acesso online a pesquisas no setor agrícola
JUIZADO ESPECIAL
Justiça Itinerante realiza 113 casamento indígenas em Amambai
JUSTIÇA
Motorista que matou idosos no trânsito responderá processo preso

Mais Lidas

PARANHOS
Testemunha de atentado a prefeito é executada
DOURADOS
Polícia fecha boca de fumo e prende homem no Clímax
SOLIDARIEDADE
Douradense busca ajuda para conseguir manter a família
DOURADOS
Mulher é presa em posto de saúde com moto furtada há dois anos