Menu
Busca Quarta, 13 de Dezembro de 2017
(67) 9860-3221
Corpal - Dezembro 2017
TRANSPORTE PÚBLICO

Aumento da tarifa deve ser definido em um mês

Aumento da tarifa de transporte público deve ser definido em um mês

07 Dezembro 2017 - 17h20Por Gizele Almeida

Na tarde desta quinta-feira (07), ocorreu uma audiência pública no CAM (Centro Administrativo Municipal) para debater sobre reajuste na tarifa do transporte público de Dourados. A empresa responsável, Medianeira Dourados, sugere um novo valor de R$ 3,66. A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) informou que o prazo para definir sobre o reajuste é de 30 dias em média. 

O gerente da empresa, Marcelo Saccol, realizou uma apresentação de forma a explicar sobre a necessidade do reajuste, o qual segundo ele, não ocorre desde agosto de 2015. 

Com dados sobre aumento do combustível, custos de rodagem, manutenção, impostos, entre outros, o valor proposto pela empresa é de R$ 3,66. O atual é R$ 3,00. 


“O valor viável a ser praticado na cidade hoje, conforme acusou a planilha seria de R$ 3,66, isso com dados de agosto deste ano e sem a discussão salarial aplicada de 2017. Quem vai colocar o preço de valor de tarifa é o município, acredito que vai haver o princípio da razoabilidade”, pontuou. 

O gerente afirma que o cálculo é feito com base em uma planilha elaborada por técnicos de transporte e por especialistas das principais prefeituras e universidades do Brasil. Quanto ao novo valor, ele diz não incluir “o debate sobre o acordo coletivo e toda discussão salarial que vai acontecer a partir de agora e ficará posteriormente para próxima tarifa”. 

O diretor da Agetran, Carlos Fábio Selhrost, disse que a audiência pública foi positiva. Para ele, o reajuste será inevitável, no, entanto será feita uma análise da Agência para direcionar o percentual do reajuste. 

“A questão do aumento será discutida para quanto será. Não vai ser de uma vez pois irá atingir a população que mais necessita e usa esse transporte. A equipe técnica vai avaliar os valores, é indiscutível que terá que ocorrer o reajuste pelo período sem aumento, mas vamos estudar uma forma para que seja bom para os dois lados (população e empresa)”, citou. 

O prazo citado pelo diretor para definições é de um mês em média. 

Outro ponto colocado pelo gerente da Medianeira que impacta na necessidade de reajuste é a grande quantidade de passageiros beneficiados com descontos ou gratuidade integral em Dourados. 

“Gratuidades e descontos pesam no custo da tarifa. Em Dourados, conforme cálculo tarifário os gratuitos representam 42% dos passageiros. Levando-se em conta a tarifa de R$ 3,66, hoje apurada, estes passageiros representam R$ 1,53 no valor tarifário”, explica. 

Serviço

Questionado sobre o serviço prestado pela empresa ao município, o diretor apontou como “razoável”. 
“O serviço está razoável, tem algumas falhas estamos propondo a empresa para que esteja resolvendo. A Agetran seguirá fiscalizando e buscando o melhor para nossa sociedade”, disse. 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Délia inaugura dois Ceim’s nesta sexta-feira
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Geraldo comemora aprovação em Plenário de reajuste de valores pagos a lotéricas pela Caixa
FLAGRANTE
Homem é preso com uso de documento falso
ASSEMBLEIA
Deputados aprovaram Orçamento de R$ 14 bi em 1ª votação
CORUMBÁ
Dono de restaurante com 230 kg de pescado ilegal é autuado pela PMA
BARBÁRIE
Acusado de esquartejar mãe é levado para audiência
PALESTRA
Servidores participam de palestra com foco no atendimento público
BRASIL
Congresso mantém veto a armas para agentes de trânsito
CONCERTO
Orquestra UFGD e Geraldo Espíndola homenageiam os 40 anos de MS
BR-262
Veículo de luxo roubado é recuperado a caminho da fronteira com a Bolívia

Mais Lidas

CAMPO GRANDE
Identificada motorista que morreu após acidente na BR-163
BR-463
Douradense é preso com maconha após luta corporal com policial
DOURADOS
Família é presa com mais de R$ 18 mil falsos na BR 463
RENAIS CRÔNICOS
Falta de transporte a pacientes renais gera protesto em Dourados