Menu
Busca quarta, 19 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221
DOURADOS

Apesar de polêmica quanto a multa, convocação para audiência é mantida

25 maio 2017 - 16h35

A convocação para os pais de alunos matriculados na rede municipal de ensino comparecerem a uma audiência pública, nesta quinta-feira, às 19h, no Douradão, está mantida, apesar de polêmicas. A medida foi da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude da Comarca de Dourados.

O apontamento de que em caso de falta, a mesma deverá ser justificada pelos pais à direção/ coordenação sob pena de multa de três a 20 salários mínimos, gerou polêmica entre os convocados e também na Assembleia Legislativa.

A audiência acontecerá para apresentar aos pais o Proceve - (Programa de Conciliação para Prevenir a Evasão e a Violência Escolar) – que é desenvolvido pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul e visa fortalecer os papeis dos gestores, diretores, educadores, educandos e seus responsáveis legais, com ações preventivas, com foco em estimular a permanência dos alunos na escola, combater a violência e promover a busca de oportunidades no futuro.

Alguns deputados estaduais compararam a convocação feita pelo MPE (Ministério Público Estadual) ao de uma condução coercitiva – quando uma pessoa é levada obrigatoriamente a prestar esclarecimentos-.

Conforme mostrado pelo Dourados News, os parlamentares Pedro Kemp, João Grandão e Amarildo Cruz (PT) se posicionaram contrários ao fato. Cruz, inclusive, classificou o evento como arbitrário. "Isso é uma condução coercitiva". O mesmo discurso foi tomado pelos deputados Onevan de Matos (PSDB) e Paulo Siufi (PMDB).

A promotora da Justiça da Infância e da Juventude Fabricia Barbosa Lima afirmou que nesta tarde ao Dourados News que "é uma forma bastante equivocada comparar a convocação com uma condução coercitiva".

Na Assembleia Legislativa foi aprovada uma moção de repúdio contra a medida pedindo ainda à procuradoria-geral do Ministério Público o cancelamento da audiência que contará com palestra do procurador de Justiça Sérgio Harfouche.

Sobre essa questão, a promotora citou que não houveram mudanças na programação e voltou a citar sobre a legalidade da convocação, bem como a possibilidade de justificativas.

"Os pais que não comparecerem e realizarem uma justificativa relevante a direção da escola não terão problemas, a intenção do evento não é arrecadar dinheiro e sim trazer a família para a escola.A convocação tem amparo legal pois o artigo 129, inciso V, do Eca diz que é obrigação do pai acompanhar a vida escolar do filho", pontuou.

No início da tarde desta quinta-feira (25) profissionais da educação lotaram o estádio Douradão para participar de capacitação do programa.

Ainda sobre a questão, a promotora disse que "em outras cidades que foi implementado o programa também houve uma convocação, então não é uma criação da promotoria da infância e muito menos sem embasamento legal".

Deixe seu Comentário

Leia Também

IGUATEMI
Conduta de cabo que matou sogro a tiros em fazenda será investigada
AEDES AEGYPTI
Paraguai decreta situação de emergência por conta da dengue
CAPITAL
Mulher desaparece após dizer que iria fazer tratamento em hospital
BRASIL
BC lança sistema que promete transferir dinheiro em até 10 segundos
CAMPO GRANDE
Após ser diagnosticada com doença rara, menina de 5 anos morre em hospital
REGIÃO
Procon aciona MPE para combater abusos na venda de combustíveis
JUSTIÇA
Réu por assassinato, filho foi escondido pela mãe o tempo todo
BRASIL
CGU vai fiscalizar os municípios de Caracol e Miranda em 2020
CRISE
Força Nacional será enviada ao Ceará após motim e tiros contra Cid Gomes
OPORTUNIDADE
Hospital Regional abre edital para processo seletivo com 27 vagas para profissionais da saúde

Mais Lidas

APÓS 9 ANOS
Hipermercado fecha as portas em Dourados no final do mês
DOURADOS
Policial aposentado mata homem e diz ter sido ameaçado com faca
VIOLÊNCIA
Homem é assassinado em frente a padaria em Dourados
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018