Menu
Busca domingo, 21 de abril de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Ao aprovar PME, Câmara previne sanções ao município, diz Idenor

02 julho 2015 - 08h16

Ao aprovar o Plano Municipal de Educação a Câmara de Dourados atendeu aos prazos estabelecidos pelo MEC, mantendo, inclusive, as 20 metas estabelecidas no documento base que irá nortear a Educação pelos próximos dez anos.

A afirmação é do presidente Idenor Machado (DEM). Segundo ele, os vereadores cumpriram suas funções, aprovando um conjunto de leis que contém metas específicas e estratégias que devem ser adotadas ao longo dos anos.

Ainda segundo o presidente, a Câmara de Dourados procurou dar seguimento à tramitação do projeto na Casa, de maneira que prazos fossem cumpridos e o município não fosse responsabilizado por descumprimento da meta e sofresse punições por isso.

Segundo o Plano Nacional de Educação aprovado pelo Congresso em 2014, o prazo para que todos os municípios concluíssem a discussão, elaboração e votação do Plano Municipal era 24 de junho de 2015.

A procuradoria-jurídica da Câmara explica que ainda que não houvesse uma regulamentação especificando responsabilidades para os gestores de descumprissem os prazos e metas, o MEC deixou claro que os gestores podem ser submetidos a possíveis ações civis públicas, caso não sigam a legislação vigente.

Em Dourados, observa Idenor, o Plano foi elaborado a partir de ampla discussão, envolvendo todas as categorias, como diretores, professores e trabalhadores administrativos da educação municipal, além de representantes de instituições e entidades. Na Câmara, passou pelas comissões permanentes antes de ir a plenário para votação, em duas sessões.

METAS

Entre as 20 as metas para as políticas de educação na próxima década contidas no Plano Nacional de Educação algumas se destacam, como a universalização, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 a 5 anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% das crianças de até 3 anos até o final da vigência deste PME; e universalização do ensino fundamental de nove anos para toda a população de 6 a 14 anos e garantir que, pelo menos, 95% dos alunos concluam essa etapa na idade recomendada, até o último ano de vigência deste PME.

Outras metas visam oferecer educação em tempo integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas, de forma a atender, pelo menos, 25%dos alunos da educação básica; e fomentar a qualidade da educação básica em todas as etapas e modalidades, com melhoria do fluxo escolar e da aprendizagem.

Também considerada importante, a meta de ampliar o investimento público em educação pública de forma a atingir, no mínimo, o patamar de 7% do PIB (Produto Interno Bruto) do País no 5º ano de vigência da lei e, no mínimo, o equivalente a 10% do PIB ao final do decênio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Bebê nasce na BR-163/MS à caminho de hospital
TRAGÉDIA
Casal morre em acidente de moto próximo a Ponta Porã
BRASIL
Bombeiros resgatam a última vítima desaparecida nos escombros de desabamento na Muzema
CORUMBÁ
Jovem morre afogado em piscina de clube
ESPORTES
Algoz de brasileiro lidera premiações no UFC São Petersburgo
NOVA ANDRADINA
Polícia Militar apreende pistola de ar comprimido com jovens
BRASIL
Contratos de patrocínio da Petrobras passam por revisão, diz Bolsonaro
MUNDO
Sri Lanka: ataques a igrejas e hotéis matam 200 e ferem 400
DOURADOS
Homem é preso por embriagar três adolescentes no Jardim Guanabara
DOURADOS
Homem é preso com revólver e munições

Mais Lidas

POLÍCIA
Mulher de 41 anos é assaltada e estuprada próximo à feira-livre
DOURADOS
Indígena que morreu atropelada na MS-156 tinha 25 anos
CAARAPÓ
PF apreende quase meia tonelada de maconha em tanque de carreta
PONTA PORÃ
Homem é encontrado com as mãos decepadas na região de fronteira