Menu
Busca sexta, 25 de maio de 2018
(67) 9860-3221
BANNER AUDIÊNCIA ASSEMBLEIA

André garante obras da Presidente Vargas ainda este ano

18 maio 2011 - 07h03

As obras de reconstrução da Escola Presidente Vargas em Dourados serão iniciadas ainda este ano. A determinação é do governador André Puccinelli e foi dada na segunda-feira, em reunião com a participação do deputado federal Geraldo Resende (PMDB-MS), autor de emendas já empenhados para a primeira etapa das obras.

Para a aplicação dos recursos não há contingenciamento federal, segundo Geraldo Resende. “O dinheiro ainda não foi liberado devido a problemas técnicos, não há nenhuma outra situação orçamentária adversa”, diz.

Geraldo Resende e o ex-deputado e atual senador Waldemir Moka (PMDB-MS) garantiram R$ 1,5 milhão (R$ 750 mil cada) para a primeira etapa. O dinheiro foi empenhado em 17 de dezembro do ano passado.

O FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento do Ensino) se comprometeu em liberar por meio de convênio R$ 2.273.628,68. A contrapartida do governo do Estado é de R$ 399 mil. Os recursos assegurados para a fase inicial somam R$ 4.172.628,68. Para a segunda etapa, Geraldo apresentou emenda de R$ 1 milhão e o senador Moka emenda de R$ 500 mil.

A reformulação do projeto solicitada pelo MEC ao governo do Estado leva em conta o fato de não haver fonte de recursos específica para reforma ou restauração de escola estadual. Por isso será feita a demolição da velha estrutura para construção de novo prédio, em dimensão que seguirá normas do MEC, sem perda de característica arquitetônica.

Na semana passada Geraldo se reuniu com o diretor do FNDE, Leopoldo Alves, para verificar as pendências e nesta segunda-feira, 16, tratou do assunto com o governador André Puccinelli, técnicos da Educação e da SEOP (Secretaria de Obras Públicas e Transporte). O governador determinou empenho de sua equipe para resolver de uma vez por todas o impasse em relação ao projeto original, elaborado pelo arquiteto Angelo Arruda, e as determinações do Ministério da Educação.

O MEC exigiu a readequação e o redimensionamento arquitetônico, em razão das normas técnicas. A falta de ajustes por parte da equipe do governo do Estado é que está retardando a liberação da primeira parcela. “Estamos fazendo uma verdadeira romaria para garantir o início das obras em 2011 e o governador André Puccinelli nos deu essa garantia”.

Geraldo disse que vai seguir cobrando as providências de ordem técnica para garantir a liberação da primeira parcela dos recursos.

A escola vai preservar o número de salas de aula, 24, e terá obras de ampliação para seis laboratórios e outros ambientes educacionais. “É legítimo o clima de ansiedade e não é justo que Dourados fique eternamente à espera da obra. Fizemos nossa parte alocando os recursos necessários, tanto para a primeira etapa quanto para a fase de conclusão”.

Toda a reconstrução deve demorar um ano e a expectativa é que em 2012 os alunos, que estão estudando em um prédio alugado, possam retornar à tradicional escola.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZ
Musa do Sertanejo posa sensual com cavalo e é criticada por ativistas
BENEFÍCIO
UEMS abre inscrições para 900 auxílios para estudantes de graduação
CAMPO GRANDE
Polícia prende trio que usava veículo de usuário para assaltos
PARAÍSO DAS ÁGUAS
Greve dos caminhoneiros provoca cancelamento de Festa do Laço Comprido
SÃO JOÃO
Cadastro a interessados em participar da Festa Junina terminam dia 30
CÂMBIO, DESLIGO
Senado do Paraguai aprova investigação contra doleiro brasileiro
ESPORTES
Ações sociais e ambientais são realizadas durante os Jogos da Juventude
GREVE
Governo e caminhoneiros anunciam acordo para suspender paralisação
GREVE
Azambuja descarta reduzir ICMS para baixar preço dos combustíveis
CULTURA
Cineclube UFGD exibirá no sábado os vencedores da 6ª MAD

Mais Lidas

GASOLINA A R$ 5
Contra abuso nos preços, força-tarefa autua postos em Dourados
TENTATIVA DE HOMICÍDIO
Rixa antiga teria motivado atentado contra “zóio de gato”
DOURADOS
Grupo é flagrado marcando lotes durante invasão de área pública
CONFUSÃO
Cliente é agredido com socos por funcionário de posto de combustíveis
Os dois começaram a discutir e o frentista passou a atender outros clientes