Menu
Busca quarta, 18 de julho de 2018
(67) 9860-3221

André garante obras da Presidente Vargas ainda este ano

18 maio 2011 - 07h03

As obras de reconstrução da Escola Presidente Vargas em Dourados serão iniciadas ainda este ano. A determinação é do governador André Puccinelli e foi dada na segunda-feira, em reunião com a participação do deputado federal Geraldo Resende (PMDB-MS), autor de emendas já empenhados para a primeira etapa das obras.

Para a aplicação dos recursos não há contingenciamento federal, segundo Geraldo Resende. “O dinheiro ainda não foi liberado devido a problemas técnicos, não há nenhuma outra situação orçamentária adversa”, diz.

Geraldo Resende e o ex-deputado e atual senador Waldemir Moka (PMDB-MS) garantiram R$ 1,5 milhão (R$ 750 mil cada) para a primeira etapa. O dinheiro foi empenhado em 17 de dezembro do ano passado.

O FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento do Ensino) se comprometeu em liberar por meio de convênio R$ 2.273.628,68. A contrapartida do governo do Estado é de R$ 399 mil. Os recursos assegurados para a fase inicial somam R$ 4.172.628,68. Para a segunda etapa, Geraldo apresentou emenda de R$ 1 milhão e o senador Moka emenda de R$ 500 mil.

A reformulação do projeto solicitada pelo MEC ao governo do Estado leva em conta o fato de não haver fonte de recursos específica para reforma ou restauração de escola estadual. Por isso será feita a demolição da velha estrutura para construção de novo prédio, em dimensão que seguirá normas do MEC, sem perda de característica arquitetônica.

Na semana passada Geraldo se reuniu com o diretor do FNDE, Leopoldo Alves, para verificar as pendências e nesta segunda-feira, 16, tratou do assunto com o governador André Puccinelli, técnicos da Educação e da SEOP (Secretaria de Obras Públicas e Transporte). O governador determinou empenho de sua equipe para resolver de uma vez por todas o impasse em relação ao projeto original, elaborado pelo arquiteto Angelo Arruda, e as determinações do Ministério da Educação.

O MEC exigiu a readequação e o redimensionamento arquitetônico, em razão das normas técnicas. A falta de ajustes por parte da equipe do governo do Estado é que está retardando a liberação da primeira parcela. “Estamos fazendo uma verdadeira romaria para garantir o início das obras em 2011 e o governador André Puccinelli nos deu essa garantia”.

Geraldo disse que vai seguir cobrando as providências de ordem técnica para garantir a liberação da primeira parcela dos recursos.

A escola vai preservar o número de salas de aula, 24, e terá obras de ampliação para seis laboratórios e outros ambientes educacionais. “É legítimo o clima de ansiedade e não é justo que Dourados fique eternamente à espera da obra. Fizemos nossa parte alocando os recursos necessários, tanto para a primeira etapa quanto para a fase de conclusão”.

Toda a reconstrução deve demorar um ano e a expectativa é que em 2012 os alunos, que estão estudando em um prédio alugado, possam retornar à tradicional escola.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FUTEBOL
Brasileirão retorna hoje com 5 jogos e duelo de líderes
LEI
Complexo dos Poderes e Programa de Preservação são criados em MS
BRASIL
Confira os casos em que a legislação permite mudar o nome de nascimento
MS
Capacitação nacional na Agepen está com inscrições abertas até 27 de julho
AQUIDAUANA
Dupla tenta roubar avião e morre em confronto com a polícia
OPORTUNIDADE
Senai está com matrículas abertas em cinco cursos gratuitos
BRASIL
Novos valores para licitação começam nesta quinta-feira
TRÁFICO
Mulher é flagrada em ônibus tentando levar droga até o Paraná
SELEÇÃO
Comarca de Anastácio abre processo seletivo para estagiários de Direito
PRINCESINHA DOS ERVAIS
Ponta Porã completa 106 anos nesta quarta-feira

Mais Lidas

DUPLO HOMICÍDIO
Duas pessoas são assassinadas em Dourados
DUPLO HOMICÍDIO
Polícia identifica uma das vítimas de assassinato em Dourados
DOURADOS
Dupla em Corsa branco teria executado homens em Sitioca
DOURADOS
Acusado de matar mecânico confessa assassinato de homem no Flórida