Menu
Busca quarta, 19 de junho de 2019
(67) 9860-3221

André garante obras da Presidente Vargas ainda este ano

18 maio 2011 - 07h03

As obras de reconstrução da Escola Presidente Vargas em Dourados serão iniciadas ainda este ano. A determinação é do governador André Puccinelli e foi dada na segunda-feira, em reunião com a participação do deputado federal Geraldo Resende (PMDB-MS), autor de emendas já empenhados para a primeira etapa das obras.

Para a aplicação dos recursos não há contingenciamento federal, segundo Geraldo Resende. “O dinheiro ainda não foi liberado devido a problemas técnicos, não há nenhuma outra situação orçamentária adversa”, diz.

Geraldo Resende e o ex-deputado e atual senador Waldemir Moka (PMDB-MS) garantiram R$ 1,5 milhão (R$ 750 mil cada) para a primeira etapa. O dinheiro foi empenhado em 17 de dezembro do ano passado.

O FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento do Ensino) se comprometeu em liberar por meio de convênio R$ 2.273.628,68. A contrapartida do governo do Estado é de R$ 399 mil. Os recursos assegurados para a fase inicial somam R$ 4.172.628,68. Para a segunda etapa, Geraldo apresentou emenda de R$ 1 milhão e o senador Moka emenda de R$ 500 mil.

A reformulação do projeto solicitada pelo MEC ao governo do Estado leva em conta o fato de não haver fonte de recursos específica para reforma ou restauração de escola estadual. Por isso será feita a demolição da velha estrutura para construção de novo prédio, em dimensão que seguirá normas do MEC, sem perda de característica arquitetônica.

Na semana passada Geraldo se reuniu com o diretor do FNDE, Leopoldo Alves, para verificar as pendências e nesta segunda-feira, 16, tratou do assunto com o governador André Puccinelli, técnicos da Educação e da SEOP (Secretaria de Obras Públicas e Transporte). O governador determinou empenho de sua equipe para resolver de uma vez por todas o impasse em relação ao projeto original, elaborado pelo arquiteto Angelo Arruda, e as determinações do Ministério da Educação.

O MEC exigiu a readequação e o redimensionamento arquitetônico, em razão das normas técnicas. A falta de ajustes por parte da equipe do governo do Estado é que está retardando a liberação da primeira parcela. “Estamos fazendo uma verdadeira romaria para garantir o início das obras em 2011 e o governador André Puccinelli nos deu essa garantia”.

Geraldo disse que vai seguir cobrando as providências de ordem técnica para garantir a liberação da primeira parcela dos recursos.

A escola vai preservar o número de salas de aula, 24, e terá obras de ampliação para seis laboratórios e outros ambientes educacionais. “É legítimo o clima de ansiedade e não é justo que Dourados fique eternamente à espera da obra. Fizemos nossa parte alocando os recursos necessários, tanto para a primeira etapa quanto para a fase de conclusão”.

Toda a reconstrução deve demorar um ano e a expectativa é que em 2012 os alunos, que estão estudando em um prédio alugado, possam retornar à tradicional escola.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Polícia fecha 'boca' e prende três por tráfico no Jardim Pantanal
ECONOMIA
Dólar fecha em queda, após decisão do Fed
EM UMA SEMANA
MS registra mais de mil novos casos de dengue e Dourados tem nova morte confirmada
BOA AÇÃO
Grupo ABV faz mais entregas de agasalhos em Dourados
OPORTUNIDADE
Exército abre inscrições para temporários em MS, MT e GO
FRONTEIRA
Homem é executado por pistoleiros em oficina mecânica
BRASIL
Moro espera que reportagens de site não afetem projeto anticrime
DICAS
Três serviços essenciais para viajantes
AQUIDAUANA
Mãe escuta grito e flagra idoso estuprando filha de 7 anos
SEM DOR DE CABEÇA
Piso sobre piso: 4 formas de trocar sem quebra-quebra

Mais Lidas

DOURADOS
Perseguição na Coronel Ponciano termina com homem preso e apreensão de mais de 700kg de maconha
PARAGUAI
Homem escapa de sequestro, mas acaba executado por pistoleiros em posto
FATALIDADE
Corpo de douradense é encontrado no rio Aquidauana
RESERVA INDÍGENA
Dois são presos suspeitos pelas mortes de tio e sobrinho em Dourados