Menu
Busca quarta, 23 de outubro de 2019
(67) 9860-3221

Alfabetizandos de Dourados fazem presépio de sucata

10 dezembro 2003 - 11h55

Mais do que aprender a ler e escrever, os alunos do Movimento de Alfabetização de Adultos (MOVA) de Dourados, fizeram um presépio de sucatas e muitos outros trabalhos artísticos. No entanto, o que aparenta ser um mero trabalho de artes, tem objetivos muito mais amplos: o de estimular o trabalho em grupo e o conhecimento. “Estamos trabalhando com pessoas com mais de 40, 70 e até 80 anos. Desenvolver este tipo de trabalho, para eles tem sido prazeroso e, além disso, dá um retorno pedagógico positivo”, salienta a coordenadora do MOVA, Iranilde Pedrosa Novaes ao explicar que o aprendizado do movimento não se limita às letras. Além de trabalhos com material reciclável, são desenvolvidas atividades sobre questões políticas e regionais. Quem quiser ver a produção dos alunos pode ir até a Secretaria Municipal de Educação.“Quem observar bem o presépio vai perceber que ele revela um pouco da realidade social dos alunos”, esclarece Iranilde. “Este é o sentido da alfabetização! É aliar as letras à cidadania e dar oportunidade para os alfabetizandos melhorarem a convivência entre eles e a comunidade onde vivem”, comenta, lembrando que muitas vezes a violência que faz parte do dia-a-dia do brasileiro poderia ser resolvida, em muitos casos, com uma conversa.O MOVA é um trabalho que vem ganhando destaque desde que foi criado. Em dezembro do ano passado havia apenas 30 salas de aula. Hoje são 80 turmas em diversos bairros de Dourados, o que significa 1.600 alunos e 80 monitores. Há também 17 apoiadores, pessoas que acompanham as aulas ministradas.Todavia, o ano de 2004 promete. Com novas parcerias vai ser possível chegar a 172 salas.  Uma prova de que o movimento tem o objetivo de favorecer a todos, está duas mais recentes turmas. Uma no estabelecimento penal de regime semi-aberto e a outra no Centro de Atenção Psicossocial em Saúde Mental. “Nosso interesse é dar um fim às barreiras do analfabetismo e principalmente, o preconceito que existe em torno da questão, oferecendo cidadania a todos”, finaliza Iranilde.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BALANÇO
TRE/MS realiza audiência para tratar da biometria em Terenos
CESSÃO ONEROSA
Congresso aprova projeto que garante R$ 34,6 bi à Petrobras
CAPITAL
Falso repórter engana treinador de futebol com entrevista e clona WhatsApp
UEMS
Mestrado em Ensino em Saúde prorroga período de inscrições
NOVA ALVORADA
Homem esfaqueou pastor porque ele ‘fomentava’ separação, diz polícia
REFORMA APROVADA
Ponto a ponto: saiba o que vai mudar nas aposentadorias
TRÊS LAGOAS
Homem atira para matar ex-mulher e acaba baleando dono de restaurante
MÚSICA
Livro sugere que Raul Seixas entregou Paulo Coelho à ditadura
MEIO AMBIENTE
PMA usa satélite e drone para autuar infrator por desmatamento
RECURSOS
Nelsinho Trad entrega relação das emendas de bancada federal de MS

Mais Lidas

HAYEL BON FAKER
Homens são presos fazendo sexo em via pública em Dourados
DOURADOS
Três são presos após ‘batida’ em ‘boca de fumo’ no Jardim Pantanal
DOURADOS
“Se não pagar vocês não vão dormir, não vão ter paz”, ameaçou professora indígena presa por extorsão
TRÁFICO
Economista e corretor são presos com mais de 30kg de cocaína