Menu
Busca sexta, 29 de maio de 2020
(67) 99659-5905
DIVERSIDADE

Agenda LGBT+: “Nós só queremos aquilo que todo mundo tem: respeito, trabalho, educação, direitos”

17 maio 2019 - 12h20Por Vinicios Araújo

“Nós não queremos nada a mais do que outras pessoas, nada a mais. Nós só queremos aquilo que todo mundo já tem: respeito, trabalho, educação, direitos”. Essa fala é do mestrando em sociologia da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) Franklin Schmalz, 24, presidente do Conselho Municipal da Juventude e ativista LGBT+.

Com esse discurso, ele e o coletivo de organização da Parada do Orgulho LGBT+ de Dourados abrem uma agenda extensa com várias atividades de fortalecimento, orientações e conscientização sobre uma comunidade ainda vista com muitos estigmas aos olhos da sociedade. 

Em visita ao Dourados News nesta manhã, Franklin destacou pontos importantes sobre a realidade de pessoas que se identificam de forma oposta à sexualidade biológica. São lésbicas, gays, bisexuais, transgênos e outras diversificações [LGBT+], que diariamente sofrem com a violência, o preconceito, a dificuldade de compreensão e, sobretudo, a falta de respeito. 

No quesito violência, Franklin destaca que em registros de mortes de transexuais, o requinte de crueldade supera aquilo que costuma ocorrer com pessoas consideradas “normais”. 

“Quando a gente escuta falar sobre assassinato de trans, não são mortes comuns. Sempre há um excesso de crueldade. Dezenas de facadas, uma exposição ofensiva do corpo humano, o requinte de brutalidade é muito maior”, disse. 

Segundo o Mapa da Violência, disponibilizado pela Antra (Associação Nacional dos Travestis e Homossexuais), somente neste ano 48 transexuais já foram mortos no Brasil. 

E para abrir o cronograma de programações, uma audiência pública de proposição do vereador Elias Ishy (PT) será realizada na noite desta sexta-feira (17) na Câmara Municipal de Dourados. A organização pretende discutir direitos e a necessidade de políticas públicas para a comunidade LGBT+.

“É um grande vácuo ainda. Se existe em Dourados, são uma ou duas iniciativas ainda muito secundarizadas de políticas públicas para a comunidade LGBT+”, considera. O ativista exemplifica a cobrança que tem sido feita ao poder municipal sobre a capacitação dos profissionais de educação e saúde para atendimento desse público. 

“Na área da educação mesmo, as pessoas não conseguem estudar, ficar na escola, porque os funcionários não conseguem atender, entender essa pessoa. Os colegas reprimem e fazem práticas de violência e a pessoa não estuda, acaba saindo da escola”, afirma.

Ele cita também o fato do mercado de trabalho não ser inclusivo a essa comunidade. “Muitos acreditam que o trans e a travesti se prostituem porque querem e não é assim. Essas pessoas não encontram outra possibilidade. O mercado de trabalho não acolhe essas pessoas e falta políticas de capacitação e inclusão por parte do poder público”, considerou.

Questionado se é percebido um acovardamento por parte da classe política, Franklin considerou que sim. “Essas pautas vão contra a opinião pública, há risco de perda de votos, então há sim um certo temor em se lutar por essas causas. Por isso também que queremos uma representatividade nesses setores [executivo e legislativo]. O que a classe política precisa entender é que, na Constituição, o direito é garantido para todos e não apenas para determinados grupos. Então as nossas dores precisam sim ser discutidas, solucionadas e valorizadas”, afirma. 

A audiência na Câmara acontecerá às 18h30. Ainda hoje, às 23h, uma festa pré-parada acontece em casa noturna localizada na região central. O objetivo do evento é arrecadar fundos para realização da Parada do Orgulho LGBT+ 2019. 

A agenda se estende até 29/06. No cronograma estão incluídos oficinas, rodas de conversa, concursos de beleza e mostras de cinema.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

COSTA RICA
Menina de 3 anos dormia com a mãe que foi assassinada a facadas pelo ex
POLÍTICA
Bolsonaro diz que auxílio emergencial poderá ter a quarta parcela
JUDICIÁRIO
MP denuncia juiz por ter recebido propina para liberar precatórios
ENSINO SUPERIOR
Ainda sem data, Enem 2020 já tem 6,1 milhões de inscritos
TRÊS LAGOAS
Motociclista é atingida por linha com cerol e garotos que soltavam pipa fogem
ECONOMIA
Compras com auxílio emergencial poderão ser pagas via celular
CARTILHA
Tribunal de Justiça lança Guia de Boas Práticas para Pessoas com Deficiência
CAPITAL
Idoso é enganado por golpistas, entrega dois cartões e fica no prejuízo
JUSTIÇA
Ministro do STF nega recurso e mantém pena de prefeito condenado por tráfico
DESCAMINHO
Receita Federal apreende duas toneladas de narguilé contrabandeadas

Mais Lidas

DOURADOS
Paciente com suspeita de coronavírus afasta mais de 20 profissionais da saúde no HV e UPA
PANDEMIA
Dourados é "campeã" de casos de coronavírus em MS pelo 3º dia consecutivo
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher