Menu
Busca sábado, 18 de agosto de 2018
(67) 9860-3221
EDUCAÇÃO

Acadêmicos de Fisioterapia expõem trabalhos na disciplina de Linguagem

29 setembro 2017 - 09h53Por Da Redação

Foi realizada a 1ª Exposição de Linguagem e Argumentação: Corpos Abjetos. A mostra de banners, organizada em conjunto pelos estudantes do 2º semestre dos cursos de Fisioterapia e Nutrição da Unigran, foi coordenada pela professora Andréia Oliveira Iguma, que ministra as aulas da disciplina. 

Segundo Andréia Iguma, o tema escolhido aborda “corpos abjetos”, ou seja, corpos que são socialmente excluídos. “Essa mostra nasceu da necessidade de pensar nesses corpos que são excluídos da sociedade e que serão amanhã, objetos de trabalho dos profissionais tanto de fisioterapia quanto de nutrição”, esclarece.

Os temas estão bem variados e abordam situações comuns na sociedade bem como anorexia, obesidade – nesse caso como fator excludente do mercado de trabalho – , acessibilidade, problemas de deficiência física que acabam atrapalhando na questão sexual e acaba gerando nos pacientes, problemas como depressão, entre outros citados pela coordenadora do projeto.

O grupo da acadêmica de Nutrição, Andreia Cozinato, fez uma pesquisa sobre a “Influência da Televisão no Consumo Alimentar de Crianças e Adolescentes”. O tema foi escolhido por conta da relevância e forma com que ele é apresentado na educação. “O tempo está cada vez mais escasso e, devido à correria do dia a dia, os pais acabam deixando comidas industrializadas prontas e a televisão, mesmo sendo um meio que aproxima as pessoas, acaba influenciando na educação alimentar, proporcionando o consumo exagerado de alimentos enlatados”, garante. 

“Nós podemos afirmar, de acordo com nosso estudo, que a maioria das crianças e jovens entre 5 e 17 anos são obesos e se não são, tendem a ficar por conta da alimentação desregrada, por não praticarem exercícios físicos. A publicidade que incentiva a alimentação rápida e prática, inclusive as de Fast Food, é muito grande e toda essa mídia está dentro dos canais infantis, influenciando a alimentação que não é saudável”, ressalta a acadêmica. 

A abordagem feita pelo grupo do acadêmico Marcelo Dalla Corte, do curso de Fisioterapia, foi sobre “Acessibilidade” para pessoas com algum tipo de deficiência. Segundo o estudante, o tema foi escolhido por estar inserido dentro da realidade estudantil. 

“A acessibilidade faz parte da nossa realidade e precisamos estar instruídos quando se trata dessa temática. Uma situação interessante e que ninguém sabe é que, além dos deficientes, cuidadores também têm seus direitos garantidos por lei e é o caso do desconto de 80% na compra de passagens aéreas, quando estão acompanhando uma pessoa deficiente. Apenas o cadeirante paga o valor total”, finaliza. 

Mais de cem alunos dos dois cursos estiveram envolvidos nos projetos, apresentando 12 trabalhos voltados para a temática. As pesquisas foram avaliadas por professores das respectivas áreas. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Etapa da Stock Car promete agitar neste fim de semana
DOURADOS
Dia “D” da vacinação contra pólio e sarampo é hoje e conta com 36 pontos
EDUCAÇÃO
Gabaritos do Encceja já estão disponíveis no site do Inep
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 23 milhões
UAUUUUU!!
Giovanna Ewbank exibe bumbum e impressiona fãs com biquíni cavado
MATO GROSSO DO SUL
Cassems aparece no ranking das melhores e maiores empresa do Brasil pelo 10º ano consecutivo
INDÚSTRIA 4.0
Realidade aumentada é alternativa para aumentar produtividade do trabalhador
ELEIÇÕES 2018
Comitê da ONU pede que Lula participe de eleição
EDUCAÇÃO
Capacitação para quem atuará no Enem em MS acontece amanhã
PANTANAL
Acesso à MS-228 entre Lampião Aceso e MS-184 é liberado parcialmente

Mais Lidas

DOURADOS
Defesa questiona "condenação social" e diz que pai de criança não tem ligação com morte
DOURADOS
À espera da audiência de custódia, envolvidos em morte de criança permanecem em delegacia
DOURADOS
Casal acusado de matar criança tem prisão preventiva decretada pela Justiça
DOURADOS
Delegado aguarda laudo para saber se bebê internado no HU foi agredido