Menu
Busca sábado, 22 de setembro de 2018
(67) 9860-3221

Tempos líquidos – curtir, compartilhar, publicar - hoje somos “Ícaro”

30 junho 2015 - 07h16

A sombrinha já não faz sombra, a lua passa por fotoshop nas redes sociais, os nossos olhos maquiados maquiam o tempo, o acontecido, o ver... Estamos sempre a correr. Velozes, mal percebemos o tempo fugaz ruir em nossos sonhos e pés.

Inventamos infinidades de “trecos” eletrônicos e nos tornamos vítimas do stress digital. Penso que o universo digital foi criado para nos libertar, não para nos aprisionar, estamos formando uma geração de pessoas mal humoradas e com síndrome da pressa.

Lembrando Lenine em sua música “Mesmo quando o mundo pede um pouco mais de calma, até quando o corpo pede um pouco mais de alma, eu sei a vida não para, a vida não para”... E lá vamos nós liquidificando o viver, nesse vai e vem frenético não temos tempo para nada e, uma das consequências e a impaciência.

A modernidade líquida termo apresentado e estudado pelo filósofo polonês (reside na Inglaterra) Zygmunt Brauman, nos mostra a época em que vivemos essa das relações humanas vitaminadas, tudo junto e misturadas engolidas sem sentir o real sabor. Uma época de liquidez, de fluidez, de volatilidade, de incerteza e insegurança. É nesta época que toda a fixidez e todos os referenciais morais da época anterior, denominada pelo autor como modernidade sólida, são retirados do palco para dar espaço à lógica do agora, do consumo, do gozo e da artificialidade. Vivenciamos tudo como se fosse apenas uma questão de escolher a melhor opção com vantagens é claro basta curtir, compartilhar e publicar. E assim corremos sob o manto do tudo junto e misturado... Confundindo e destruindo saberes e ao mesmo tempo (re)construindo saberes.

Deslumbrados hoje somos “Ícaro”. Para recordar Ícaro é o filho de Dédalo, um artesão famoso, patrono dos técnicos na Grécia Antiga. Dédalo colocou em seu filho Ícaro asas feitas de cera de abelhas e penas de gaivotas. O motivo? Para que eles, Dédalo e Ícaro, pai e filho, pudessem fugir da Ilha de Creta. Queriam escapar do labirinto onde estava o Minotauro, aquele metade homem e metade touro, e que se alimentava de carne de jovens atenienses.

A prudência do olhar, do “curtir” o local, modere o seu tempo foi dito pelo pai Dédalo que ao colocar as asas em seu filho Ícaro, aconselhou: “Filho, voe moderadamente. Não voe alto se não o sol derreterá a cera e você cairá. Não voe muito baixo se não as ondas do mar o apanharão ou então a umidade irá pesar suas penas e você não chegará ao seu destino”.

E os dois foram. Dédalo voou moderadamente e chegou ao destino, mas viu seu filho Ícaro em êxtase, deslumbrado com “a invenção” e quanto mais alto voava e se exibia, mais a cera derretia. Até que a cera derreteu totalmente e Ícaro caiu no mar.

Graduação em História, Especialização em Historia do Brasil e Mestre em Historia. – Agora Colunista do Jornal Dourados News.*


Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZ
Luísa Sonza posa de biquíni e anuncia chegada à Fernando de Noronha
SAÚDE
Horário de verão poderá ser proibido em todo o Brasil
RIO BRILHANTE
Trio é condenado a 47 anos de prisão por matar adolescente a tiros
ECONOMIA
Servidor de Dourados terá acesso ao crédito consignado da Sicredi
POLÍCIA
Agepen etuda ajustar tornozeleiras eletrônicas após 'gambiarra'
FIT
Estão abertas as inscrições para oficina de maquiagem artística
RIO BRILHANTE
Homem invade hospital atrás da ex-mulher esfaqueada por ele
SEU BOLSO
Preço da gasolina chega a R$ 4,65 mesmo sem reajuste nas refinarias
FUTEBOL
Seleção Sub-20 é convocada com Paulinho, Vinicius Jr e Rodrygo
ITINERANTE
Carreta da Justiça oficializa união de casal junto há 46 anos

Mais Lidas

DOURADOS
Criança de 1 ano desaparece de dentro de casa no Dioclécio Artuzi
DIOCLÉCIO ARTUZI
Polícia divulga imagens de criança de 1 ano desaparecida em Dourados
PEDRO JUAN
Polícia paraguaia apreende carga de maconha com adesivos de “Lula Livre”
JARDIM AEROPORTO
Durante confronto com a PM, rapaz é baleado no tórax e morre em hospital