Menu
Busca domingo, 17 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Vereadores se revezam na Câmara enquanto aguardam a Justiça

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

16 outubro 2019 - 00h04

Determinações – Ainda aguardando um entendimento definitivo por parte da Justiça sobre como devem proceder no retorno ao Legislativo douradense, os três vereadores investigados dentro da Operação Cifra Negra, continuam evitando a aproximação, principalmente dentro da Câmara.  

Revezamento – Após participar da pré-pauta de segunda-feira, o vereador Idenor Machado (PSDB) evitou estar presente na primeira sessão da Casa após a retomada do mandato dele, ocorrido na terça-feira passada. 

Mais revezamento – Já Pedro Pepa (DEM), que não estava na reunião da manhã para discutir assuntos pertinentes à votação de horas depois, compareceu à Câmara e foi um dos parlamentares a acompanhar a 36ª ordinária do ano, a ‘estreia’ dele em 2019.

Fora – Quem não deu as caras nos dois encontros foi Cirilo Ramão (MDB). Aliás, o parlamentar só compareceu na sessão do dia 23 de setembro, após retomar novamente o mandato por meio da Justiça. 

Atestados – Para justificar a ausência na semana passada, o emedebista, assim como Pedro Pepa, protocolou atestado médico de três dias na Casa. Resta saber se haverá nova explicação de Cirilo para garantir parte de seu subsídio no final do mês. 

Recursos – Gastos de membros do MPE (Ministério Público Estadual) de Mato Grosso do Sul com diárias em setembro chegaram a R$ 290.973,16, conforme informado pelo órgão fiscalizador. Já as despesas com passagens, somam R$ 37.560,81.

Diárias – Num dos casos, foram gastos em diárias, pouco mais de R$ 5 mil para integrante do MP participar da 22ª Reunião da Secretaria Nacional do Consumidor entre os dias 24 e 31 de agosto, conforme consta no Diário Oficial. 

Bloqueio – Produtores rurais com propriedades às margens da Perimetral Norte ameaçam bloquear a via na altura da rotatória com a avenida Guaicurus caso a situação de insegurança vivenciada após as ocupações de indígenas na região continue sem solução. Um protesto estava agendado para ontem, porém, a situação foi protelada após promessa de reunião com membros da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública) de MS.

Mudanças – A centralização de postos de saúde deixou usuários e servidores da unidade da Vila Matos ‘perdidos’ quanto ao atendimento. Pela manhã, um funcionário da prefeitura começou a retirar divisórias do local, causando desconforto dentro do imóvel. 

 

*Colaborou Osvaldo Duarte

Deixe seu Comentário

Leia Também

Deputados do PT e PSL votam juntos em MS
Novo bloco formado na Câmara já tem cinco vereadores
Escudeiro fiel, Marun diz que ainda tem falado com Temer
CPI que gerou polêmica pode ser instaurada ainda esta semana
Debutantes na AL e Congresso travam ‘arranca-rabo’ virtual

Mais Lidas

POLÍCIA
Vereador é agredido e roubado quando ia para igreja em Dourados
DOURADOS
Idoso é fechado por criminosos na Marcelino, é derrubado e tem moto ‘zero km’ roubada
PORTO MURTINHO
Velório é interrompido e corpo de menina afogada recolhido para perícia
DOURADOS
Motociclista fica gravemente ferido após colisão no Parque Alvorada