Menu
Busca sexta, 19 de julho de 2019
(67) 9860-3221
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Sob intervenção, Funsaud tem comissão de auditoria extinta

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

21 junho 2019 - 00h03

Votos – O Senado aprovou na noite de terça-feira, por 47 a 28 votos, o parecer da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) pela suspensão do decreto das armas publicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) em 7 de maio. Dos três senadores por Mato Grosso do Sul, dois opinaram contra a medida da Comissão – Soraya Thronicke (PSL) e Nelsinho Trad (PSD) – e Simone Tebet (MDB) votou favorável. Agora, o texto será analisado pela Câmara dos Deputados, enquanto isso, o projeto continua valendo.

Repercussão – A medida assinada pelo presidente flexibiliza o porte de armas no país e após o resultado, Nelsinho justificou o seu voto favorável alegando residir em um Estado rural, onde as propriedades são distantes uma das outras e também as dificuldade para atuação dos órgãos de segurança pública, havendo, por isso, a necessidade de defesa.

Mais repercussão – Já Soraya atacou a oposição ao repercutir o resultado da votação no Senado. “Infelizmente essa foi uma derrota para a população brasileira e para a democracia. A oposição, que tanto diz defender os interesses do povo, votou contra o desejo e direito do brasileiro de se proteger”, disse. 

Diárias – O MPE (Ministério Público Estadual) gastou apenas no mês de maio, em Mato Grosso do Sul, R$ 262.909,99, conforme publicado no Diário Oficial do órgão de quarta-feira. Já em passagens, foram R$ 56.219,66. 

Detalhadas – No extrato publicado no documento, chama a atenção o desembolso de R$ 3.122,00 repassados a uma ação de caráter sigiloso por parte do órgão e outros dois repasses de R$ 3.933,72, cada, para a realização de curso de Gestão de Instrumentos de Repasse de dois servidores, entre os dias 19 e 25 de maio, em Brasília (DF).
  
PGR – O procurador campo-grandense Blal Yassine Dalloul é um dos nomes da lista tríplice enviada à escolha do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para assumir a PGR (Procuradoria Geral da República). Além dele, disputam o cargo Mario Bonsaglia e Luiza Cristina Frischeisen. Dalloul ficou na terceira colocação durante a eleição interna realizada pela Procuradoria, enquanto Mario ficou em primeiro. 

Revogado – A prefeitura de Dourados revogou o decreto 1.796 de 7 de maio que criou a Comissão Especial de Auditoria na Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados), que está sob intervenção do próprio município. 

Justificativa – De acordo com a determinação da prefeita Délia Razuk (PR), não há motivos para se manter a auditoria nas contas da Fundação, considerando que os trabalhos da Comissão coincidem com os levantamentos a serem realizados pela interventora.

Facultativo – Repartições públicas estaduais e municipais não funcionam nesta sexta-feira (21/6), conforme decreto de ponto facultativo publicado pelos respectivos governos. Apenas os serviços considerados emergenciais à população serão disponibilizados hoje.  

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Deputados federais de MS custaram mais de R$ 5,7 milhões em 2019
MP nega arquivamento de Inquérito que apura falta de médicos nos postos de saúde
Derrotado nas urnas em 2016 cuidará de departamento em Dourados
De olho na prefeitura, deputado diz que não há convite do DEM a Délia
Com reforma ainda no papel, município enfrenta insatisfação de servidores

Mais Lidas

FRONTEIRA
Pistoleiros são presos após executarem homem a tiros
DOURADOS
Delegado encerra Inquérito e aguarda perícia para saber se tiro que matou bioquímico foi acidental
DOURADOS
AGORA: Homem é baleado no Estrela Verá
FRONTEIRA
Suspeito de ter matado homem encontrado boiando em rio é preso