Menu
Busca sábado, 19 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Sob intervenção, Funsaud tem comissão de auditoria extinta

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

21 junho 2019 - 00h03

Votos – O Senado aprovou na noite de terça-feira, por 47 a 28 votos, o parecer da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) pela suspensão do decreto das armas publicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) em 7 de maio. Dos três senadores por Mato Grosso do Sul, dois opinaram contra a medida da Comissão – Soraya Thronicke (PSL) e Nelsinho Trad (PSD) – e Simone Tebet (MDB) votou favorável. Agora, o texto será analisado pela Câmara dos Deputados, enquanto isso, o projeto continua valendo.

Repercussão – A medida assinada pelo presidente flexibiliza o porte de armas no país e após o resultado, Nelsinho justificou o seu voto favorável alegando residir em um Estado rural, onde as propriedades são distantes uma das outras e também as dificuldade para atuação dos órgãos de segurança pública, havendo, por isso, a necessidade de defesa.

Mais repercussão – Já Soraya atacou a oposição ao repercutir o resultado da votação no Senado. “Infelizmente essa foi uma derrota para a população brasileira e para a democracia. A oposição, que tanto diz defender os interesses do povo, votou contra o desejo e direito do brasileiro de se proteger”, disse. 

Diárias – O MPE (Ministério Público Estadual) gastou apenas no mês de maio, em Mato Grosso do Sul, R$ 262.909,99, conforme publicado no Diário Oficial do órgão de quarta-feira. Já em passagens, foram R$ 56.219,66. 

Detalhadas – No extrato publicado no documento, chama a atenção o desembolso de R$ 3.122,00 repassados a uma ação de caráter sigiloso por parte do órgão e outros dois repasses de R$ 3.933,72, cada, para a realização de curso de Gestão de Instrumentos de Repasse de dois servidores, entre os dias 19 e 25 de maio, em Brasília (DF).
  
PGR – O procurador campo-grandense Blal Yassine Dalloul é um dos nomes da lista tríplice enviada à escolha do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para assumir a PGR (Procuradoria Geral da República). Além dele, disputam o cargo Mario Bonsaglia e Luiza Cristina Frischeisen. Dalloul ficou na terceira colocação durante a eleição interna realizada pela Procuradoria, enquanto Mario ficou em primeiro. 

Revogado – A prefeitura de Dourados revogou o decreto 1.796 de 7 de maio que criou a Comissão Especial de Auditoria na Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados), que está sob intervenção do próprio município. 

Justificativa – De acordo com a determinação da prefeita Délia Razuk (PR), não há motivos para se manter a auditoria nas contas da Fundação, considerando que os trabalhos da Comissão coincidem com os levantamentos a serem realizados pela interventora.

Facultativo – Repartições públicas estaduais e municipais não funcionam nesta sexta-feira (21/6), conforme decreto de ponto facultativo publicado pelos respectivos governos. Apenas os serviços considerados emergenciais à população serão disponibilizados hoje.  

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Assembleia vê novo ‘bate-boca’ entre PT e PSL
MS só receberá mais que DF, SC e RR em rateio do pré-sal
Vereadores se revezam na Câmara enquanto aguardam a Justiça
Favorável a ampliação enquanto vereadora, Délia agora quer diminuir perímetro urbano
Relacionamento entre correligionários é cada vez pior

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista bêbado tomba veículo na Joaquim Teixeira Alves
DOURADOS
Além de droga, pente-fino na PED encontrou cachaça, roteador de internet e ‘sky gato’
DOURADOS
Alvo de furtos e abusos no trânsito, avenida passa a ser monitorada por câmeras
DOURADOS
Prefeitura abre licitação para vender folha de pagamento do funcionalismo