Menu
Busca quarta, 20 de março de 2019
(67) 9860-3221
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Repercussão instantânea fez PDT repensar vice

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

10 agosto 2018 - 00h03

Da Redação

“Guerra” – A campanha eleitoral começa a tomar forma em Mato Grosso do Sul próximo de se iniciar oficialmente. Pelas redes sociais alguns candidatos ao governo até já se ‘alfinetam’.

Ataque – Com três obras milionárias paradas na Capital – Centro de Belas Artes, Aquário do Pantanal e o Hospital do Trauma -, o juiz aposentado e candidato pelo PDT, Odilon de Oliveira, usou o Facebook para criticar governantes. “Experiência não é sinônimo de boas decisões sobre como usar o dinheiro público (...) obras ‘faraônicas’ não podem ser mais importantes que leitos de hospital, escolas e segurança para nossas famílias. Isso tem que acabar!”, publicou em sua rede social.

Contra-ataque – Horas depois o atual governador e candidato à reeleição, Reinaldo Azambuja, contra-atacou: “Vamos conversar sobre obras inacabadas? Tenho orgulho em dizer que nossa gestão é responsável com o uso o dinheiro público (...) das 215 obras deixadas pelos governos anteriores, já concluímos 209”, disse, também através do Facebook.

Paralisação – Educadores da Rede Pública de ensino paralisam as atividades hoje em Dourados no chamado ‘Dia do Basta’. Atos estão previstos para as 8h na Praça Antônio João, no Centro e na Unidade II da UFGD, às 15h.

Candidaturas –  Mais 16 candidaturas foram registradas na Justiça Eleitoral visando o pleito de outubro próximo em Mato Grosso do Sul. Até o final da tarde de ontem eram 21 no total, todas para deputado federal. Os postulantes são do Novo, PDT, PRB e Podemos.

Números – Além dos cinco nomes já registrados pelo Novo na semana passada, o PDT tem oito candidatos, o Podemos outros cinco e o PRB registrou três. 

Cinema – Pouco mais de dois anos após as gravações de ‘Em nome da Lei’, Dourados volta a sediar as gravações de um filma, agora ‘A pele morta’ que começará a ser rodado na cidade nos próximos dias. 

Unido – O ‘episódio’ Keliana Fernandes não afetou em nada a relação interna do PDT, garante Odilon de Oliveira. Para ele, o que aconteceu [anúncio e depois a retirada do nome da chapa] já passou e foi motivado pelo apelo popular. 

Áudios – Também ficou claro que as redes sociais ajudaram a derrubar a então vice de Odilon. Logo após o PDT colocar a radialista ao lado do juiz aposentado, mídias do passado comprometendo Keliana começaram a circular pelo aplicativo WhatsApp. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agora como vereadora, Marinisa tem novo ‘embate’ com educadores
Pressão popular deve ser mantida para Câmara cassar vereadores
MDB quer dar a "volta por cima" usando Puccinelli mais uma vez
Prefeitura se silencia em novo escândalo de corrupção
Fiel ao governo, vereador diz “morrer abraçado” com prefeita se for preciso

Mais Lidas

FRONTEIRA
Homem é executado enquanto tomava tereré na frente de açougue
FRONTEIRA
Motorista que teria ligação com Pavão é executado a tiros e outro fica gravemente ferido
DOURADOS
Pai e madrasta de criança morta por agressão vão a júri popular
FARRA
Polícia é acionada após grupo fazer festa em motel e tentar sair sem pagar