Menu
Busca sábado, 06 de junho de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Os segredos por trás dos prazeres do chocolate

E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

22 abril 2019 - 00h03

Muitos acreditam que chocolate pode ser viciante, simplesmente pelo fato dele conter substâncias que estimulam a produção de serotonina, promovendo sensações de bem-estar e prazer que poderiam levar ao consumo em excesso, além disso possui tiamina, uma das vitaminas do complexo B que é importante na produção de energia.

Suas características sensoriais, como textura, aroma, cor, sabor e o fato de derreter na boca, além da sua composição de nutrientes (gordura e açúcar), leva ao desejo incontrolável. Mas atenção, depois que “vicia-se” em chocolate a tendência é sempre aumentar a quantidade. 

Muitos não sabem, mas o que também desperta interesse de nosso organismo pelo chocolate é o seu delicioso aroma e a química, pois ele é formado por mais de 200 tipos de compostos voláteis. Todos eles são produzidos enquanto as sementes de cacau são fermentadas e torradas.

Chocolate também apresenta cafeína, que ativa à sensação de recuperação de energias e feniletilamina (PEA), substância responsável por provocar a sensação de bem-estar em nosso cérebro, pois ela pode acionar a liberação de dopamina, substância química do cérebro que causa a sensação de felicidade. No mais, saiba que a feniletilamina está presente em grande quantidade no cérebro de pessoas apaixonadas e, dizem os cientistas, seria uma das principais responsáveis por este estado de espírito.

Mas chocolate faz bem à saúde? Sim, pois existe uma substância antioxidante presente na semente de cacau chamada flavonóide, que age como protetor cardiovascular. Os flavonóides reduzem a oxidação do LDL (colesterol ruim) o que diminui a deposição nas paredes dos vasos sanguíneos. Os benefícios dependem da quantidade de flavonóides presente no chocolate, o que varia de acordo com o tipo de produto.

Quantidades significativas da substância só são encontradas nos chocolates tipo amargo ou dark, com mais de 70% de cacau. Em contrapartida o chocolate ao leite apresenta quantidades muito pequenas e o chocolate branco não apresenta antioxidantes, pois não contém massa de cacau.

Deve haver critério no consumo, pois na fabricação final do chocolate existe a adição de leite, geralmente integral, o que aumenta a presença de outras gorduras saturadas e colesterol alimentar, que podem elevar o colesterol sanguíneo. O chocolate também deve ser consumido com moderação devido ao seu alto teor calórico. 

*Especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Feijão e fatores antinutricionais
Covid-19 e cuidados com delivery
Hiperêmese gravídica: entenda doença que causa náuseas e vômitos excessivos durante a gestação
Data de validade: vamos levar a sério?
A “milagrosa” água com limão

Mais Lidas

PANDEMIA
Em disparada, casos de Covid-19 tem novo recorde diário e passam de 400 em Dourados
DOURADOS
Suspeito de apontar arma na cabeça de motoboy para roubar veículo é apreendido
DOURADOS
Empresário que vendeu gasolina sem imposto vê tributo mal usado no país
DOURADOS
Polícia descobre central que abastecia “bocas de fumo” e prende traficante