Menu
Busca sábado, 19 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

O que você não sabia sobre dietas restritivas

E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

07 outubro 2019 - 00h03

Não tente realizar medidas rápidas para emagrecer, dieta muito restrita tem capacidade em assustar o cérebro, gerando muito estresse. Nosso corpo funciona muito bem, mas se é surpreendido com mudanças muito radicais pode causar um desequilíbrio, podendo levar a doenças sérias. Cortar grupos alimentares inteiros sem necessidade não ajuda a emagrecer. Ao contrário, atrapalham! 

Dietas muito restritivas podem desacelerar o metabolismo e como não é possível manter uma dieta dessas por longos períodos, quando o indivíduo retornar para uma dieta normal, irá ganhar mais do que foi perdido. Outro problema causado pela restrição é a falta de nutrientes no corpo. O organismo necessita de todos os nutrientes, alguns em maiores quantidades e outros em menores. Na falta deles, pode correr carências nutricionais. 

Muitos pensam que “saudável” é o que é diet, light, zero gordura, zero açúcar. Que não tem glúten. Ou lactose. Ou, ainda, que tem baixo valor calórico. Somos levados a pensar que o mundo é feito de alimentos perigosos, que “engordam”, ou de alimentos milagrosos, que “emagrecem”.

Isso aumenta a ansiedade em torno da comida e também a culpa ao comer. Hoje em dia, olhamos para os alimentos de maneira muito simplificada: ou é ruim ou é bom; ou engorda ou emagrece. Não existe nada disso quando se estuda a ciência da nutrição. Nenhum alimento por si só faz você engordar ou emagrecer de repente.

Existe uma grande influência do modismo alimentar em tirar glúten e/ou lactose da alimentação de indivíduos saudáveis, somente porque é moda. Isso agride o corpo, pois ele não tem o "combustível" certo. Ameaçado, começa a fazer uma série de adaptações para viver. Então aumenta a fome, diminui o metabolismo, a pessoa fica obcecada por comer e usa o alimento para tudo: quando está ansiosa, triste, com tédio. E acaba comendo muito.

Muitos não sabem, mas os problemas relacionados ao glúten e/ou à lactose de fato existem com uma minoria da população e, neste caso, têm que ser evitados ou completamente eliminados. Mas não é correto tirá-los da alimentação só por acreditar que eles engordam!
Para fazer uma restrição tão drástica como essa, é preciso consultar um especialista. Uma vez identificado qualquer problema de saúde que tenha relação com estes componentes, aí sim há restrição. Caso contrário, não há necessidade de passar por esta enorme privação.

Por fim, não é culpa do pão francês, do chocolate, ou da batata frita que estamos ficando cada vez mais obesos. Mas, sim, do excesso de informações sensacionalistas a respeito de nutrição, o que faz com que estejamos perdidos e que as indústrias alimentícias e de dietas lucrem cada vez mais, vendendo os produtos “milagrosos” da vez, e na verdade esse terrorismo só faz as pessoas ficarem cada vez mais estressadas, com uma relação de amor e ódio com a comida, aumentando assim o risco de ganhar ainda mais peso e desenvolver um comer transtornado.

Saiba mais:  fazer as pazes com a comida e o corpo é a melhor coisa que você pode fazer para você, sua saúde e por consequência seu peso.

*Especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News. 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Alho: um poderoso fitoterápico
O que você não sabia sobre dietas restritivas
A importância do café da manhã para crianças e adolescentes
Como a alimentação pode auxiliar a minimizar os sintomas do tempo seco
O que são e como controlar os triglicerídeos?

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista bêbado tomba veículo na Joaquim Teixeira Alves
DOURADOS
Além de droga, pente-fino na PED encontrou cachaça, roteador de internet e ‘sky gato’
DOURADOS
Alvo de furtos e abusos no trânsito, avenida passa a ser monitorada por câmeras
DOURADOS
Prefeitura abre licitação para vender folha de pagamento do funcionalismo