Menu
Busca quarta, 20 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Irritado, deputado dispara contra colega e volta a dizer que abandonará política

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

31 outubro 2019 - 00h04

Energia – A UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) cancelou em cima da hora a inauguração da usina fotovoltaica que abastecerá a Unidade 2 da instituição. De acordo com a assessoria de imprensa da Universidade, a incompatibilidade de agenda de autoridades imprescindíveis ao ato foi o principal fator. 

Protestos – Apesar da justificativa, a falta de ‘afinidade’ da reitora pro tempore Mirlene Ferreira Macedo Damásio com a comunidade acadêmica também pode ter motivado o adiamento da solenidade. Em recente reunião do Conselho Universitário ela foi alvo de protestos. O mesmo ocorreu ontem pela manhã, durante ação que reuniu até adversários políticos cobrando autonomia e a nomeação, por parte do MEC, do reitor eleito em consulta prévia, Etiene Biasotto. 

Capacidade – Mesmo com as disputas políticas da Universidade, idealizadores do projeto garantem que com o funcionamento da usina, o polo de ensino terá capacidade de atender boa parte da demanda do campus. A energia solar estimada também daria para abastecer 1,2 mil casas durante o ano. 

Extemporânea – A Justiça Eleitoral agendou para o dia 1º de dezembro a eleição suplementar para a prefeitura de Japorã. O novo prefeito assumirá no lugar de Vanderley Bispo de Oliveira (PTB), afastado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e ficará no cargo até 31 de dezembro do próximo ano. 

Denúncia – Vanderley, o vice Gilvan Antônio Perin (PSDB) e a vereadora Daiana Vilharva Cáceres Franzoni (PRP), foram condenados por captação ilícita de sufrágio nas eleições de 2016, após uso de dinheiro público na campanha e distribuição de cestas básicas. 

Ação – O deputado estadual Cabo Almi (PT) promete entrar com ação no Tribunal de Justiça buscando suspender o decreto do ‘Cota Zero’. Na semana passada, o MPF já havia recomendado ao governo que aguardasse um pouco mais para fazer vigorar a medida, agendada para iniciar em março de 2020. 

CPI – Após ser ‘contra-atacado’ por parlamentares em relação a criação da CPI da Energisa, o deputado Capitão Contar (PSL), propositor da implantação da Comissão, usou a tribuna da Assembleia Legislativa ontem para justificar o seu pedido, que ‘empacou’ na Casa. 

Mágoa – Em ‘rota de colisão’ com Coronel Davi (PSL) desde o episódio que resultou na homenagem ao ex-senador Delcídio do Amaral (PTB), Contar se mostrou magoado com o correligionário no que diz respeito à CPI. “Confesso que contava com o voto do meu partido”, disse em relação à não assinatura do correligionário à criação da Comissão. 

Ira – No mesmo pronunciamento, Capitão Contar irritou Zé Teixeira (DEM). Ao dizer não ‘fazer como os outros deputados’, sem citar nomes ou deixar claro o que pretendia com a colocação, o deputado do PSL foi duramente criticado pelo democrata. “(...) tem que falar o que a gente tem feito de mal e ele não”, esbravejou na tribuna. 

Aposentadoria – Zé Teixeira também voltou a dizer que abandonará a política ao fim do seu mandato. “Se Deus me der saúde para terminar, esse é meu último mandato. Não quero mais participar desse mar de lama”, finalizou. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Aguardando filiação de Délia, Delcídio começa a traçar estratégia do PTB para 2020
Com salários defasados, servidores vão à Câmara por aumento no “teto” do Município
Deputado federal volta a atacar parlamentares da Assembleia de MS
Deputados do PT e PSL votam juntos em MS
Novo bloco formado na Câmara já tem cinco vereadores

Mais Lidas

ESTELIONATO
Suspeita de aplicar golpes em Dourados é presa na Paraíba
OPERAÇÃO PATRON
Dono de loja de importados na fronteira também é alvo de operação
TENTATIVA DE FEMINICÍDIO
Ex esperou mulher chegar de curso para tentar matá-la no Estrela Verá
OPERAÇÃO PURIFICAÇÃO
Justiça Federal aceita denúncia contra cinco suspeitos de corrupção na Funsaud