Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Irritado, deputado dispara contra colega e volta a dizer que abandonará política

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

31 outubro 2019 - 00h04

Energia – A UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) cancelou em cima da hora a inauguração da usina fotovoltaica que abastecerá a Unidade 2 da instituição. De acordo com a assessoria de imprensa da Universidade, a incompatibilidade de agenda de autoridades imprescindíveis ao ato foi o principal fator. 

Protestos – Apesar da justificativa, a falta de ‘afinidade’ da reitora pro tempore Mirlene Ferreira Macedo Damásio com a comunidade acadêmica também pode ter motivado o adiamento da solenidade. Em recente reunião do Conselho Universitário ela foi alvo de protestos. O mesmo ocorreu ontem pela manhã, durante ação que reuniu até adversários políticos cobrando autonomia e a nomeação, por parte do MEC, do reitor eleito em consulta prévia, Etiene Biasotto. 

Capacidade – Mesmo com as disputas políticas da Universidade, idealizadores do projeto garantem que com o funcionamento da usina, o polo de ensino terá capacidade de atender boa parte da demanda do campus. A energia solar estimada também daria para abastecer 1,2 mil casas durante o ano. 

Extemporânea – A Justiça Eleitoral agendou para o dia 1º de dezembro a eleição suplementar para a prefeitura de Japorã. O novo prefeito assumirá no lugar de Vanderley Bispo de Oliveira (PTB), afastado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e ficará no cargo até 31 de dezembro do próximo ano. 

Denúncia – Vanderley, o vice Gilvan Antônio Perin (PSDB) e a vereadora Daiana Vilharva Cáceres Franzoni (PRP), foram condenados por captação ilícita de sufrágio nas eleições de 2016, após uso de dinheiro público na campanha e distribuição de cestas básicas. 

Ação – O deputado estadual Cabo Almi (PT) promete entrar com ação no Tribunal de Justiça buscando suspender o decreto do ‘Cota Zero’. Na semana passada, o MPF já havia recomendado ao governo que aguardasse um pouco mais para fazer vigorar a medida, agendada para iniciar em março de 2020. 

CPI – Após ser ‘contra-atacado’ por parlamentares em relação a criação da CPI da Energisa, o deputado Capitão Contar (PSL), propositor da implantação da Comissão, usou a tribuna da Assembleia Legislativa ontem para justificar o seu pedido, que ‘empacou’ na Casa. 

Mágoa – Em ‘rota de colisão’ com Coronel Davi (PSL) desde o episódio que resultou na homenagem ao ex-senador Delcídio do Amaral (PTB), Contar se mostrou magoado com o correligionário no que diz respeito à CPI. “Confesso que contava com o voto do meu partido”, disse em relação à não assinatura do correligionário à criação da Comissão. 

Ira – No mesmo pronunciamento, Capitão Contar irritou Zé Teixeira (DEM). Ao dizer não ‘fazer como os outros deputados’, sem citar nomes ou deixar claro o que pretendia com a colocação, o deputado do PSL foi duramente criticado pelo democrata. “(...) tem que falar o que a gente tem feito de mal e ele não”, esbravejou na tribuna. 

Aposentadoria – Zé Teixeira também voltou a dizer que abandonará a política ao fim do seu mandato. “Se Deus me der saúde para terminar, esse é meu último mandato. Não quero mais participar desse mar de lama”, finalizou. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Assembleia proíbe deputados candidatos de fazer campanha durante sessões
‘Santinhos virtuais’ começam a tomar espaço nas redes sociais
Maiores colégios eleitorais de MS concentram mais de 10% dos candidatos às prefeituras
Campanha ‘tiro curto’ tem início na eleição do ‘novo normal’
Internado com coronavírus, deputado liga do hospital para colega de Casa

Mais Lidas

DECIBÉIS
Operação do Gaeco mira fraudes em licitações e cumpre cinco mandados em Dourados
INVESTIGAÇÃO
Policiais do Gaeco fazem nova operação em Dourados
CAPITAL
Mulher com mandado de prisão em aberto é executada com oito tiros
DOURADOS
Gaeco deixa edifício com documentos apreendidos após mais de 5h