Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
COLUNA

Na Lata!

Adriano Moretto

Deputado de MS gastou R$ 200 mil de dinheiro público com advogados

Comentários, críticas e sugestões: adrianomoretto.oliveira@gmail.com

05 novembro 2019 - 00h04

Enquete – A maioria – 80,5% - dos quase 400 internautas que responderam enquete proposta pelo Dourados é favorável a unificação das eleições no Brasil. Já 19,5% se posicionaram contrário à medida, apresentada recentemente na Câmara dos Deputados. 

Proposta – De autoria do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), o projeto unificaria as eleições municipais com a gerais no Brasil e começaria a partir de 2030. Com isso, em 2024, os mandatos dos prefeitos e vereadores eleitos seriam esticados por mais dois anos. 

Na conta – Os três vereadores que reassumiram os cargos após período afastados receberam bons valores referentes aos subsídios pagos na Câmara de Dourados. Cirilo Ramão (MDB), levou, bruto, R$ 17.725,57, enquanto Pedro Pepa (DEM) e Idenor Machado (PSDB), R$ 15.193,35 e R$ 9.495,85, respectivamente. Pepa e Cirilo tiveram valores acumulados relativos ao mês de setembro. O salário base do legislador no município é R$ 12,6 mil.

Ausentes – Ao contrário do que vinha ocorrendo anteriormente, quando pelo menos um deles participava da reunião pré-pauta, ontem nenhum dos três parlamentares esteve presente. 

Orçamento– Apesar de não aparecer na pré-pauta, Idenor esteve na Casa pela manhã, onde participou da apresentação e discussão da proposta orçamentária feita pela Secretaria Municipal de Fazenda à Comissão Permanente de Finanças e Orçamento da Câmara. 

Suspensa – Mesmo com a liminar autorizando a realização de novas sessões de julgamento a Pepa e Cirilo por quebra de decoro parlamentar, a Mesa Diretora da Câmara vai aguardar o julgamento dos recursos para marcar uma data aos eventos e evitar um desgaste desnecessário. 

Cota – Matéria publicada pelo portal do jornal O Estado de São Paulo mostra que o deputado federal sul-mato-grossense, Loester Trutis (PSL), gastou R$ 200 mil em cotas parlamentares no ano para pagar escritório de advocacia que presta serviço a ele. Foram oito recibos entre fevereiro e setembro, com valores variando entre R$ 12 mil e R$ 31,5 mil. 

Justifica – Ao jornal, o parlamentar disse ter contratado o serviço para consultoria de seu mandato e afirmou terceirizar as ações por entender que seria mais em conta ao invés de contratar servidores. 

Eleição – O PT de Dourados parece mesmo disposto a entrar na disputa do Executivo em 2020. A legenda governou o município com Laerte Tetila entre os anos de 2001 e 2008 e tem agendado encontros para debater os problemas locais. O primeiro dele acontece no próximo sábado, no Sindicato dos Bancários, às 13h30.

Fora – A última vez em que o PT lançou candidatura à prefeitura em Dourados ocorreu em 2008, com a tentativa de emplacar o professor universitário Wilson Biasotto, porém, acabou derrotado por Ari Artuzi e Murilo Zauith (DEM). Em 2011, a sigla emplacou Dinaci Ranzi como vice de Zauith, na eleição suplementar após a queda de Artuzi.  

*Colaborou André Bento

*Editado às 8h10 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Assembleia proíbe deputados candidatos de fazer campanha durante sessões
‘Santinhos virtuais’ começam a tomar espaço nas redes sociais
Maiores colégios eleitorais de MS concentram mais de 10% dos candidatos às prefeituras
Campanha ‘tiro curto’ tem início na eleição do ‘novo normal’
Internado com coronavírus, deputado liga do hospital para colega de Casa

Mais Lidas

DECIBÉIS
Operação do Gaeco mira fraudes em licitações e cumpre cinco mandados em Dourados
INVESTIGAÇÃO
Policiais do Gaeco fazem nova operação em Dourados
CAPITAL
Mulher com mandado de prisão em aberto é executada com oito tiros
DOURADOS
Gaeco deixa edifício com documentos apreendidos após mais de 5h