Menu
Busca quinta, 27 de junho de 2019
(67) 9860-3221
COLUNA

Amplavisão

Manoel Afonso

As operações policiais e os reflexos nas urnas

10 julho 2015 - 14h50
GIROTO Desastrosa para suas pretensões políticas a cinematográfica operação ‘Lama Asfáltica’. O que se apura depois não reverte os estragos no imaginário popular. A saída do Ministério dos Transportes foi impensada. Um tiro no peito que já sangra.

REFLEXOS Quais os outros políticos que serão atingidos com as denúncias a apurar? O empreiteiro Amorim é irmão da deputada Antonieta, ex-mulher de Nelsinho. Amorim é o chamado ‘rei da mata’ no setor das empreiteiras. Não é ingênuo ou imbecil.

O HISTÓRICO das operações da Polícia Federal tem aplausos do povo e críticas dos políticos. A Roseana Sarney ( em 2002) que o diga! No caso, pelas relações de Amorim com André, Nelsinho e Marun, haverá exploração política pelos adversários.

DETALHE As brechas nas leis beneficiam os acusados e suspeitos em geral. Aliás o nosso sistema processual zela por ‘eventuais injustiças’ e a questão moral no Brasil fica em segundo plano em relação ao direito. Essa tem sido a ‘porta de escape’.

PREVISÕES O programa eleitoral em 2016 promete! Vão usar as fotos e manchetes de jornais das denúncias contra figuras petistas na ‘Lava Jato’ e dos envolvidos na ‘Lama Asfáltica’. Mais uma vez: faltarão propostas, sobrarão baixarias.

OBSERVANDO Em recente entrevista o senador Delcídio criticou a cassação do mandato de Bernal, ensejando comentários nos bastidores. Um deles interessante; seria um flerte comprometedor com promessa de troca de alianças inclusive.

EXPLICO Com a possível saída de Ayache do PT e o desempenho fraco de todos os outros ‘companheiros’ nas pesquisas, o partido poderia indicar o candidato a vice na eventual chapa encabeçada por Bernal. A tese não deixa de merecer reflexões.

AYACHE Representaria o novo petista ? Hoje seu maior adversário seria a imagem do PT. Pela sua profissão e padrão de vida social, o discurso dele seria diferente do habitual - daquele que ‘ataca a elite’, a quem - aliás - ele Ayache pertence.

REPITO Os partidos mais iguais do que nunca. É puro pragmatismo por resultados através de bons cargos e liberação das emendas parlamentares. Alias, as relações de lideranças partidárias com as empreiteiras vieram à tona na ‘Lava Jato’.

A PROPÓSITO Se analisarmos a extensa lista de políticos e partidos beneficiados pelas empreiteiras da ‘Lava Jato’, acaba-se concordando com a tese do senador Delcídio de que não haveria exceções nesta pratica. É o exemplo do ‘jeitinho brasileiro’.

A VERDADE O gasto das campanhas é maior do que é declarado na justiça. Portanto, é utopia acreditar também que o maior gasto para o cargo de prefeito da capital em 2016 não seja superior a 50% dos R$9,9 milhões gastos por Giroto em 2012.

A REFORMA política aprovada agora na Câmara é fantasiosa pelos critérios adotados na fixação dos gastos, baseando-se no que foi investido ‘oficialmente’ pelos candidatos nas últimas eleições municipais e estaduais. Como se diz: só para inglês ver.

NA PRÁTICA os candidatos terão que aferir qual foi o maior gasto declarado na justiça no pleito de 2012. Os postulantes a prefeito não poderão superar 50% daquele gasto; já os vereadores se limitarão a 70% do candidato que mais gastou.

PRESTAÇÃO de contas de campanha política no Brasil - um país onde nada é levado a sério – é surrealista. Se nossos competentes contadores driblam até a temida Receita Federal, não é diferente no acerto com a justiça eleitoral. Tiram de letra.

REINALDO Sua posição é privilegiada neste tiroteio. Vai tocando seu governo sem reinventar a roda e mantém boas relações com a bancada federal e o Planalto. Seu maior patrimônio é a credibilidade que ainda não sofreu desgastes.

ENFRENTAMENTO Será o grande desafio para o próximo prefeito de Dourados. Só com disposição e preparo será possível sepultar as velhas praticas que só atrapalharam a cidade. À iniciativa privada os méritos pelo estágio que a cidade alcançou.

PATRONO? Nas entrelinhas das conversas do deputado Zé Teixeira, há sinais de que ele não defende a sua candidatura. Quer sim viabilizar alguém que efetivamente reúna aqueles predicados citados no tópico anterior para recolocar a cidade nos trilhos.

NEM PENSAR Conchavos e negociatas só para vencer estão fora dos planos de Zé Teixeira. Aliás, ele conta com o aval irrestrito do governador Reinaldo e Murilo para oxigenar o quadro, com um nome que tenha crédito e imponha respeito.

INTELECTUAIS Vivem noutra galáxia e falta-lhes o pragmatismo indispensável na política, como o ministro Mangabeira Unger que esteve em a nossa capital. É citado na mídia mais pelas críticas que recebe, do que pelas suas ações positivas.

UMA FIGURA Tenho dúvidas dos reais benefícios a curto prazo da vinda do prolixo ministro, ex-professor em Harvard. Seus projetos são a longo prazo, contrastando com as reivindicações de caráter urgente denunciadas pelo governador Azambuja.

SEGURANÇA A opinião pública acha mesmo que o Exercito deveria retomar aquele papel que fazia com simplicidade e competência na fronteira. Na visita do Temer ficou a impressão de que o sistema ideal prometido vai demorar para funcionar.

LAMENTÁVEL O ministro Cardoso – da Justiça – não quer e não tem poderes para solucionar a questão das terras invadidas pelos índios no MS. Portanto será pura perda de tempo esse encontro de terça feira com o ministro. Só holofotes e blá blá blá.


‘O poder é o camaleão ao contrário: todos tomam a sua cor’. ( Millôr Fernandes)*



Deixe seu Comentário

Leia Também

Ato de grandeza ou esperteza de Bernal?
Hipocrisia, oportunismo e demagogia na política
Fim de carreira dos políticos parasitas
No desabafo de Giroto o alerta aos políticos
Políticos: plantam ou cortam árvores?

Mais Lidas

DOURADOS
Délia vai à delegacia registrar queixa por calúnia nas redes sociais
ESTRELA TOVY
Homem morre após ter faca cravada no olho em Dourados
CONTRABANDO
Duas mulheres ficam feridas ao capotar caminhonete carregada de maquiagem
DOURADOS
Rapaz é preso após tentar assaltar mulher na Praça Antônio João