Menu
Busca quarta, 21 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

Alimentação e Rinite

E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

09 julho 2018 - 01h02

No Brasil, a rinite alérgica é mais comum por sensibilização a ácaros e/ou fungos e tem o seu curso clínico agravado nos períodos de outono/inverno, pelas condições climáticas favoráveis à proliferação dos mesmos. Mas os sintomas nasais podem ser provocados pelo alimento ou aditivos nele contidos.

Poucos sabem, mas alimentos muito quentes ou muito temperados podem desencadear a “rinorreia gustativa”, associada também a prurido, obstrução e espirros. A capsaicina, presente na pimenta, parece ter importância neste processo. A rinite também pode ocorrer em pacientes que inalam, por contato profissional, farinhas de trigo, milho, aveia, centeio e cevada. 

De acordo com os especialistas na área, as vitaminas, minerais, óleos e enzimas que os alimentos possuem são benéficos para o organismo, pois reúnem propriedades anti-inflamatórias, bactericidas, fluidificantes e descongestionantes, potencializando a atuação do sistema imunológico. Na confirmação de rinite por alimentos, o tratamento baseia-se na restrição dos alimentos desencadeantes.

A alimentação pode auxiliar o portador de rinite, principalmente melhorando o sistema imunológico, reduzindo a umidade interna e a produção de muco. O uso dos alimentos antioxidantes reduz o processo inflamatório no organismo, o que contribui para evitar o problema. 

Na confirmação de rinite por alimentos, o tratamento baseia-se na restrição dos alimentos desencadeantes.

É essencial em momentos de crise evitar alimentos industrializados, como enlatados, embutidos e afins contêm nitritos, sulfitos, conservantes e corantes, itens que pioram os quadros alérgicos e problemas respiratórios. O mais importante é escolher alimentos que ajudem na eliminação do excesso de muco, expectorantes e também itens que melhoram o sistema imunológico. Veja as dicas a seguir:

Faça uma boa hidratação. A água hidrata todo o organismo, inclusive as vias aéreas, ajudando a fluidificar as secreções e lubrificar as mucosas;

Consuma castanhas, sementes de linhaça, de girassol, entre outros grãos, contém flavonoides. Essa substância tem efeito anti-inflamatório e é também emoliente.

Inclua peixes na alimentação, como atum, salmão e sardinha, alimentos que têm ômega 3, com propriedade em proteger as vias aéreas e ajudar a combater inflamações;

Faça uso de frutas cítricas. Ricas em vitamina C e antioxidantes, elas auxiliam no fortalecimento do sistema imunológico, prevenindo gripes e resfriados;

Utilize alho e cebola como temperos, pois contêm enzimas que combatem infecções por bactérias, vírus e fungos;

Abuse do gengibre. Presente em muitos remédios para gripes e resfriados graças à sua ação adstringente e expectorante;

Inclua o mel na alimentação, pois tem propriedades bactericidas, anti-inflamatórias e fungicidas, além de ajudar na expectoração;

Na mais, atenção! Promova bons hábitos alimentares em sua casa, procure a orientação médica e faça uma avaliação para verificar se você não é alérgico a algum alimento;

Especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Novembro Azul: a saúde do homem
Enxaqueca e Alimentação: tem alguma relação?
Você sabe como escolher o tipo de pão mais saudável?
Composição corporal é mais importante que o peso
Pó de guaraná e seus potentes benefícios

Mais Lidas

BORORÓ
Adolescente morre ao tocar em cerca elétrica em Dourados
DOURADOS
Homem que energizou cerca onde menor morreu é preso em flagrante por homicídio
FAZENDA
Sobrinho de prefeito de MS é sequestrado e executado no Paraguai
TRAGÉDIA
Adolescente morre eletrocutado em Dourados