Menu
Busca segunda, 14 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
COLUNA

Saúde

Fernanda Viana

A importância da boa nutrição para aumentar a fertilidade

contatonutrifernanda@gmail.com

11 fevereiro 2018 - 22h02

Ao contrário do que muitos acreditam, o estado nutricional antes e durante a gravidez é decisivo tanto para mãe quanto para o bebê, influenciando na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis (diabetes e hipertensão), e inclusive na capacidade reprodutiva da mulher para outras gestações. 

Pode-se mencionar por exemplo, que não existe a cultura de uma alimentação saudável quanto ao período anterior à gravidez, ignorando-se a sua importância para o sucesso da concepção, da fertilidade, da proteção do recém-nascido frente ao risco de má formação fetal e de seu peso ao nascer. Ou seja, quanto mais saudáveis e equilibrados nutricionalmente a mãe e o pai estiverem, assim também será com seu óvulo e seu espermatozoide, aumentando as chances de gerarem um bebê saudável. Um organismo desiquilibrado nutricionalmente pode não ser estéril, porém pode ter as chances de engravidar ou manter a gravidez reduzidas.

Atualmente, observa-se que as causas de a infertilidade são variadas, mas, excluindo-se os fatores genéticos e anatômicos, é preciso considerar a mudança de hábitos nocivos ou exclusão de fatores de risco para a infertilidade que incluem: álcool, tabagismo, drogas ilícitas, automedicação e aditivos alimentares que podem predispor a infertilidade. É importante também controlar os níveis de stress e manter uma alimentação adequada.

Assim, cultivar bons hábitos alimentares incluindo frutas, verduras, legumes, cereais integrais, grãos e carnes magras diariamente é imprescindível, pois deste modo é possível garantir a ingestão de zinco, selênio, vitaminas do complexo B, vitamina A e as vitaminas antioxidantes C e E, tão importantes para o sistema reprodutor do homem e da mulher.

Estudos apontam que fatores como sobrepeso, obesidade e sedentarismo desencadeiam processos no organismo que levam à disfunção na ovulação e, consequentemente, dificuldade em engravidar. Além do mais, dicas nutricionais são essências como: evitar as gorduras trans, presentes nos alimentos industrializados e fast-food; aumentar o consumo de proteína vegetal (feijão, castanhas) e equilibrar a ingestão de proteína animal (carne vermelha); preferir cereais integrais como arroz integral, aveia, pães integrais; incluir laticínios como leites, queijos, iogurtes; evitar refrigerantes, guloseimas, excesso de cafeína, tabaco e álcool são indispensáveis no tratamento para infertilidade. 

Dessa forma, evite restrições alimentares, carências nutricionais e dietas hipocalóricas, pois mesmo antes de engravidar podem impactar a evolução da gestação e a saúde futura da mãe e do bebê. E não existem “dietas da fertilidade”, existem sim comportamentos saudáveis que promovem a saúde em geral, logo melhoram a fertilidade. Nenhum alimento por si só incentiva a fertilidade. A nutrição é um todo, os nutrientes interagem entre si. Procure um nutricionista.

Especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News. E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Alho: um poderoso fitoterápico
O que você não sabia sobre dietas restritivas
A importância do café da manhã para crianças e adolescentes
Como a alimentação pode auxiliar a minimizar os sintomas do tempo seco
O que são e como controlar os triglicerídeos?

Mais Lidas

CLIMA
Previsão aponta dias chuvosos e queda de temperatura em Dourados
DOURADOS
Acionados para atender queda de moto, Bombeiros só encontram vítima no local
DOURADOS
Clima fica tenso com índios presos em confrontos às margens da Perimetral Norte
MS
Idosa é atingida por jaca durante procissão e precisa ser socorrida