Menu
Busca segunda, 21 de maio de 2018
(67) 9860-3221
Clube Indaiá - Janeiro 2018

Leia a Coluna 'Amplavisão 740', por Manoel Afonso

21 maio 2011 - 09h29

DAGOBERTO “...Eles são profissionais, não medem conseqüências para ganhar”; referindo-se aos adversários de 2012 na capital. Ué! Será que ele usou as ‘passagens aéreas’ para meditar num mosteiro do Himalaia?

‘ALGODÃO DOCE’ Pode ser chamada assim a oposição que Serra e Aécio fazem ao Planalto. Pasmem! Ambos saíram em defesa do Palocci. Será que os 44 milhões de eleitores repetiriam o voto no candidato tucano?

QUESTÕES: Por que os clientes do Palocci querem ficar no anonimato? Faturar R$ 20 milhões em ano de eleições é mera coincidência? Por que impedir o depoimento dele no Congresso? Consultoria ou lavanderia?

BICO CALADO Deputados da oposição e sindicalistas não deram um pio sobre os índices de reajustes do Governo Estadual. Pudera! O Planalto frustrou os trabalhadores com o último aumento do salário mínimo. Daí...

VANDER Tenta aplicar o golpe nas eleições da capital: “eu quero, mas cedo o lugar ao tio Zeca”. Nem se cogita um nome ligado a Delcídio. A intolerância ao senador é evidente. A pergunta geral: até onde isso vai?

PATRULHAMENTO? A decisão do STF no caso da união estável homossexual é um tema delicado. Aí os políticos do MS preferem ignorá-lo para evitar possíveis desgastes. Mas o eleitorado da capital é conservador. Se é!

O VEREADOR Paulo Siufi tem se mostrado corajoso dentro de sua coerência e princípios ao abordar esse ‘pacote de novidades’. Não foge ao debate e nas entrevistas não apela para metáforas. É direto no alvo.

OS TEMAS versando sobre a sexualidade deram um ‘zum’ na cabeça do brasileiro. Mudanças demais em pouco tempo. No debate, as igrejas aproveitaram da nossa cultura social e familiar. E...sorte do Bolsonaro!

O POLÍTICO ousado ganha ou se ferra em situações como essa. Ao defender seu ponto de vista com convicção atrai a ira dos contrários, mas ganha a simpatia de muito mais gente. É a contabilidade eleitoral, meu caro.

DECISÃO Até o final deste mês sai a indicação da AL para preenchimento da vaga no TCE. Várias questões são tratadas nos bastidores. Desnecessário citá-las porque o leitor da coluna é diferenciado, conhece bem o ‘quadro’.

“BULLYNG” As relações danosas entre os estudantes despertando nossa atenção. A iniciativa da Câmara da capital – com palestras e cartilhas – ajuda no conhecimento e fornece armas no combate ao mal antes ignorado.

DELCÍDIO sabe: se depender do Zeca pode tirar o cavalinho da chuva; nem cruzará a rua Ceará rumo ao ‘Parque’. Errou Dagoberto’: o adversários do PT são as contradições internas, não o profissionalismo dos adversários.

NOVA LEI Sorte dos estelionatários! Se o cheque estiver sem fundos e com erros em seu preenchimento, a devolução se baseará no segundo item. Portanto, é preciso ficar atento ao receber um cheque: pode ser ‘voador’.

FIQUE ESPERTO! A qualidade de casas e apartamentos, construídos a ‘toque de caixa” dará muita dor de cabeça e processos na justiça. O financiamento é a isca aos compradores ingênuos e inexperientes. Certo?

É POR AÍ...”Ganhar eleições com os amigos é possível. Difícil mesmo é governar com eles.” Um deputado estadual e ex-prefeito mostrando ao cronista várias facetas desta relação, no início sincera, depois oportunista.

UMA CANDIDATURA a prefeito no interior começa mais pela ação de terceiros do que do candidato. O desprendimento dos amigos vai até a confirmação da candidatura. É como se a missão já estivesse quase concluída.

DEPOIS... do registro da candidatura começam os problemas. A ajuda
financeira vem a conta-gotas, os amigos trazem os problemas para o candidato resolver, alegando falta de tempo ou de intimidade com o assunto.

O CANDIDATO sabe: não há como recuar; questão de honra, é o seu nome e sua reputação em jogo. Sabe que terá que engolir sapos sem fazer cara feia. Ruim com os ‘amigos’, pior sem eles. E segue a galopeira...

VENCIDAS as eleições, cai a máscara. Companheiros tidos como desprendidos, cobram a fatura: empregos e favores nem sempre legais ou morais. Acuado, o vitorioso não tem como recuar e acaba cedendo.

OS PROBLEMAS são criados pelos amigos, pois os adversários desmotivados com a derrota, adotam trégua por conta própria. Os ‘amigos do poder’ se engalfinham na luta pelo espaço e alguns se sentem ‘injustiçados’.

CONCLUSÃO: Os pretensos pré-candidatos devem avaliar de forma ajuizada o quadro antes da candidatura. A maioria dos ex-prefeitos mais perderam do que ganharam nesta ‘experiência de poder’ . Se arrependimento matasse...

CONHEÇO dezenas deles com ‘saldo trágico’ tanto nas relações familiares como no item patrimonial-financeiro. Pessoas de bem, mas sem uma leitura correta do universo político,onde florescem a vaidade e a ingratidão.

“A oposição não deseja desestabilizar o Governo”. (Aécio Neves) Pode?

Deixe seu Comentário

Leia Também

ELEIÇÕES
Maduro é reeleito na Venezuela em votação contestada por opositores
SELEÇÃO
UFGD encerra inscrições para técnicos especializados em Libras
FUTEBOL
Novo vence Sinop por 2 a 1 e continua vivo na Série D
INSS
Pedidos de aposentadoria por telefone e internet começam hoje
COSTA RICA
Gerente de fazenda morre ao bater de frente em caminhão na MS-306
TEMPO
Segunda-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
AOS 57 ANOS
Luiza Tomé ostenta corpão em rede social
AGENDA
Assembleia homenageia Força Expedicionária e debate Escola sem Partido
PREOCUPAÇÃO
Defesa Civil do Estado avalia impactos da cheia do Pantanal nas áreas ribeirinhas
FUTEBOL DE BASE
Definidos confrontos da segunda fase da Copa Mirim “João Ângelo Rocha”

Mais Lidas

BR-163
Caminhonete carregada com maconha é encontrada abandonada em posto de Dourados
CAMPO GRANDE
Chefe de quadrilha investigada pela PF foge de presídio
PEDRO JUAN
Mulher é executada a tiros na fronteira
DOURADOS
Mão cortada denuncia homem que quebrou porta de vidro para furtar loja no Centro