Menu
Busca quinta, 14 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
Agronegócio

Antes de plantar, MS já vendeu 26% da safra de soja

15 outubro 2019 - 10h04Por André Bento

Mesmo com as condições climáticas adversas que atrasaram o início do plantio da soja, produtores sul-mato-grossenses já comercializaram 26% da safra 2019/2020. Isso é o que mostra levantamento realizado pela Granos Corretora até 7 de outubro e citado na Circular 328/2019, divulgada pela da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul).

Para essa safra, é estimado um aumento na área plantada, dos 2,979 milhões de hectares cultivados em 2018/2019 para 3,163 milhões de hectares. Além disso, a produção deve crescer, passando de 8,800 milhões de toneladas para 9,906 milhões de toneladas, graças à uma produtividade média que estima-se, saltará de 48,11 sacas por hectare para 52,19 sacas por hectare.

O otimismo do setor produtivo, contudo, é freado pelas condições climáticas, já que setembro, quando acabou o vazio sanitário e foi liberado o plantio (no dia 16), foi marcado por veranicos e baixa precipitação pluviométrico, “de forma que observou-se um tímido movimento de semeadura de soja, à espera de melhores condições climáticas para que haja viabilidade dos grãos semeados”, conforme a Famasul.

Isso porque a estiagem “é prejudicial à semeadura da safra”, conforme os especialistas da Federação, que descrevem ter observado “prudência dos produtores do estado para início dessa semeadura”. Conforme já mostrado pelo Dourados News, Vicentina e Fátima do Sul tinha, até o início deste mês, os maiores índices de plantio da soja no Estado, porém, de apenas 3% da área total estimada.

Ainda conforme a circular da Famasul, em setembro Mato Grosso do Sul exportou 108 mil de toneladas de soja em grãos, retração de 58,67% em relação a 2018. E de janeiro até o mês passado as receitas totalizaram US$ 953 milhões, valor 45,9% inferior ao do mesmo período de 2018.

Esse cenário estadual acompanha a tendência nacional, já que o Brasil exportou de janeiro a setembro 60,7 milhões de toneladas, 12,15% a menos do que o volume dos nove primeiros meses de 2018. Com isso, as receitas também caíram (22,71%) e totalizaram US$ 21,2 bilhões.

Da soja sul-mato-grossense, o principal destino desde janeiro foi a China. O país asiático importou 1,9 milhão de toneladas no período, pelo que pagou US$ 685,9 milhões. Segundo maior comprador da produção estadual, a Argentina importou 346.511 mil toneladas ao custo de US$ 115.952 milhões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAN BADO
Testemunhas escutam tiros e encontram homem executado na fronteira
IMORTAL
Sul-maro-grossense é indicado para Academia Brasileira de Educação Física
BODOQUENA
Homem é preso acusado de estuprar a filha da enteada
CESSÃO ONEROSA
Municípios vão receber dinheiro do leilão do pré-sal até 27 de dezembro
CAPITAL
Responsável por atropelamento com morte se apresenta e fica livre
UEMS
Inscrições ao Mestrado Acadêmico em Letras terminam na próxima semana
CAPITAL
Mulher joga copo de vidro na testa de ex-marido após crise de ciúmes
PROTESTOS
fronteira do Brasil com Bolívia em Corumbá é reaberta após 21 dias
AQUIDAUANA
Pai denuncia escola após filho ser impedido de usar banheiro e defecar na roupa
JUSTIÇA
Concessionária deve indenizar cliente por emplacamento incorreto

Mais Lidas

DOURADOS
Encontrado morto na PED dividia cela com 18 internos em ala comandada por facção
TRÂNSITO
Bêbado invade preferencial e deixa família ferida em Dourados
ENCOMENDADA
Quadrilha desarticulada tinha ordem de facção para roubar seis motos em Dourados
PURIFICAÇÃO
Preso, ex-secretário de Saúde é exonerado do cargo de coordenador do Samu